quarta-feira, 1 de março de 2017

Torre de Vigia, genocídio e Armagedom

(Traduzido de JW SurveyQuando eu era Testemunha de Jeová, não gostava de falar sobre o Armagedom.

Não me interpretem mal, eu adorava falar sobre o paraíso. Quem não adorava? Eu dizia alegremente a qualquer um que perguntasse – fosse morador, pessoa interessada nas reuniões ou um colega de trabalho curioso – , que aguardávamos um  futuro maravilhoso. Eu falava sobre um mundo livre de guerra, livre de crimes, cheio de incríveis aventuras, o qual uma raça humana pacífica e unida desfrutaria para sempre.


Mas quando as pessoas perguntavam como Deus iria conseguir isso, eu acabava sendo um pouco vago e confuso sobre os detalhes.

Afinal, como você diria: “Bem, primeiro Deus precisa matar você e todos os que você ama, a menos que sejam convertidos”, sem parecer um lunático extremista?

Lembro-me dos congressos de distritos quando o orador discursava aos gritos e fúria sobre o tema, detalhando como a ira de Deus logo consumiria todos aqueles que não o serviam. Gostava de olhar com dó para qualquer pessoa "mundana" que estava no estádio, como os seguranças, ou as pessoas que trabalhavam nas barraquinhas de lanche. Minha vontade era de caminhar até elas e dizer: "Não se preocupem, ele não está falando sobre você, ou sua família ou amigos", mas eu não podia, pois ele estava.

Eu sabia muito bem que, a menos que se tornassem Testemunhas de Jeová, eram cadáveres andantes.

Armagedom: um ato de justiça?

Vamos tirar um segundo para realmente analisar os ensinamentos da Torre de Vigia sobre o Armagedom. Ele apresentado pela Torre de Vigia como a guerra que Jeová Deus usará em breve para remover todos os governos da Terra, bem como a maior parte da população, e instalar sua própria marca de governo no planeta. Deus lutará com seus exércitos espirituais de anjos, com seu filho Jesus liderando a batalha. Ele não precisará de ajuda humana, então as Testemunhas de Jeová não estarão envolvidas em nenhum combate real. Seu papel será simplesmente ficarem paradas e assistir.

Quem vai sobreviver? Bem, depende de a quem você perguntar. Ou mais corretamente, depende de quem você é quando perguntar.

Se você é um membro do público fazendo esta pergunta, você provavelmente obterá a resposta: "Isso é Deus que decidirá. Só Jeová pode ler o coração de uma pessoa. Nós não sabemos quem vai sobreviver e quem não vai ". Tome por exemplo um tópico sobre este assunto na seção Perguntas Frequentes do JW.ORG, o site oficial da Torre de Vigia (negrito acrescentado):

Muitos milhões de pessoas que viveram há séculos e não eram Testemunhas de Jeová terão a oportunidade de ser salvas. A Bíblia explica que no prometido novo mundo de Deus “há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos”. (Atos 24: 15) Além disso, pode ser que muitos que vivem hoje ainda venham a servir a Deus, e eles também serão salvos. De qualquer forma, não cabe a nós julgar quem será salvo ou não. Essa responsabilidade está totalmente nas mãos de Jesus.

Bem, isso soa bem superficial. Se eu apenas viver uma vida boa, tratar bem o meu vizinho, Jesus verá em meu coração que eu sou essencialmente um homem amoroso e gentil e eu serei poupado?

Não. Porque esta não é a resposta que a Torre de Vigia dá nos bastidores a uma Testemunha de Jeová doutrinada. Aqui estão alguns exemplos do que a Torre de Vigia disse sobre o Armagedom em outras publicações, com ainda mais exemplos disponíveis em jjwfacts.com (negrito acrescentado).
Apenas as Testemunhas de Jeová, os do restante ungido e os da “grande multidão”, qual organização unida sob a proteção do Organizador Supremo, têm esperança bíblica de sobreviver ao iminente fim deste sistema condenado, dominado por Satanás, o Diabo (A Sentinela de 1º de setembro de 1989, página 19).
Durante o período final do “mundo antigo”, que pereceu no Dilúvio, Noé foi um fiel “pregador da justiça”. (2 Pedro 2:5) Nos atuais últimos dias deste sistema mundial, o povo de Jeová está divulgando os padrões justos de Deus e declarando as boas novas sobre a possibilidade de sobreviver para o novo mundo. (2 Pedro 3:9-13) Assim como Noé e sua fiel família foram preservados na arca, a sobrevivência de pessoas hoje depende de sua fé e de sua associação leal com a parte terrestre da organização universal de Jeová (A Sentinela de 15 de maio de 2006, página 22).
De modo similar, Jeová está usando hoje em dia apenas uma organização para realizar a Sua vontade. Para recebermos a vida eterna no Paraíso terrestre, precisaremos identificar essa organização e servir a Deus como parte dela (A Sentinela de 15 de setembro de 1983, página 14).

Portanto, isto é bastante claro. Enquanto a Torre de Vigia ao público procura fazer parecer que sua doutrina é que “todos os tipos de pessoas poderiam, em tese, sobreviver ao Armagedom”, a verdadeira mensagem interna é que, a menos que você seja Testemunha de Jeová, você está morto.

Raciocinemos um pouco sobre isso. A doutrina da Torre de Vigia é que todo aquele que não é Testemunha de Jeová será morto, não importa quão amoroso, quão gentil, quão altruísta eles sejam em outras áreas de sua vida. Poderiam ter passado a vida na associação Médicos sem Fronteiras, dedicando-se, sem nenhum interesse, a prestar cuidados médicos a outros seres humanos em alguns dos piores lugares da Terra, enquanto que uma Testemunha de Jeová pode simplesmente ter trabalhado como engenheiro de TI em um escritório confortável e nunca realmente ter prestado ajuda significativa.

Mas vindo o Armagedom, seria a Testemunha de Jeová que sobreviveria, ao passo que o médico altruísta morreria aos gritos.

Em suma, a população não-Testemunha do planeta passaria por uma chacina sistemática de cada homem, mulher e criança. Há um nome para o assassinato sistemático de uma população civil exclusivamente para fins de extermínio:

Genocídio

A ética do genocídio

Você não precisa usar sua imaginação para ver como seria o Armagedom. A história humana está repleta de exemplos de genocídio. Para vislumbrar o futuro que um Deus "amoroso" fará, olhe para os campos de concentração da Segunda Guerra Mundial. Olhe para as sepulturas em massa da "limpeza étnica" nos Balcãs, ou para o massacre de grande número de tutsi e hutus moderados feito pela maioria hutu em Ruanda.

Ou veja as notícias referente ao ISIS no Oriente Médio, que atualmente estão envolvidos no abate em massa do povo Yazidi.

Agora, é evidente que 99% das Testemunhas de Jeová, sem dúvida, estão tão horrorizadas quanto todos os outros quando veem o terrível genocídio que o chamado Estado Islâmico está cometendo atualmente contra a população Yazidi. O massacre em massa de homens, mulheres e crianças, muitas vezes de forma horrível e sádica, é um crime terrível que trouxe condenação universal da comunidade internacional causa repulsa a qualquer pessoa que tenha pelo menos com um código moral razoável.

No entanto, esses homens, mulheres e crianças abatidos pelas mãos do ISIS são os mesmos homens, mulheres e crianças que seriam abatidos nas mãos de Jeová se trouxesse o Armagedom hoje, um massacre que as Testemunhas de Jeová estariam obrigadas a apoiar e comemorar como um ato justo.

E não é como se a matança fosse mais humana. A Torre de Vigia não ensina que Jeová desintegrará suas vítimas de forma indolor ou fará com que simplesmente adormeçam em uma morte rápida e misericordiosa, como seria de se supor estar ao alcance de seu poder fazer exatamente assim. Não, a Torre de Vigia retrata este evento como um violento holocausto, com pessoas sendo esmagadas, queimadas e mutiladas de uma maneira que os sádicos do ISIS certamente aprovariam.

Para provar esse ponto, vamos dar uma olhada em algumas obras de arte da Torre de Vigia, que descrevem o evento:







Esta é apenas uma pequena amostra de arte produzida pela Torre de Vigia para demonstrar o que eles acreditam que será o Armagedom. Um turbilhão de terror e morte terrível e violenta desencadeada contra uma população civil impotente e desavisada.

Se ainda tiver dúvidas, ouça o membro do Corpo Governante Tony Morris, um dos sete principais homens da Torre de Vigia; informe-se sobre como aqueles que Deus matará serão queimados e se abrirão como cachorros-quentes.

Pior ainda, de acordo com a teologia da Torre de Vigia, aqueles que morrem antes do Armagedom certamente serão ressuscitados no Novo Mundo de Deus para ter uma segunda chance, enquanto aqueles que morrem em suas mãos no Armagedom são eternamente destruídos. Lembra-se da pergunta da seção “Perguntas Frequentes”, que foi citada anteriormente? 

Muitos milhões de pessoas que viveram há séculos e não eram Testemunhas de Jeová terão a oportunidade de ser salvas. A Bíblia explica que no prometido novo mundo de Deus “há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos”.

Por que eu digo "ainda pior?" Porque esse ensinamento cria uma horrível falha moral. Se as Testemunhas de Jeová levarem sua teologia à sua conclusão lógica, elas deveriam estar comemorando a morte de pessoas "mundanas" às mãos de assassinos como o ISIS, pois essas pessoas "mundanas" têm pelo menos uma chance de ressurreição no novo mundo. Ao escaparem dos sádicos ISIS, mas depois morrer no Armagedom, eles estão condenados para sempre.

Mais uma vez, para enfatizar, 99% das Testemunhas de Jeová ficariam horrorizadas se uma delas sugerisse isso.

Caso um ancião dissesse, em um discurso num Salão do Reino, que os cristãos deveriam se alegrar com a morte de pessoas mundanas e que grupos como ISIS estavam fazendo um favor às pessoas que mataram, enviando-as em massa para o Paraíso, contornando o Armagedom, isso deixaria a assistência aterrorizada, provavelmente seu microfone seria cortado, depois seria arrastado do palco para uma sala recôndita, onde os demais anciãos lhe dariam um severo sermão e provavelmente não se lhe permitiria fazer outro discurso por um bom tempo.

Contudo, esta lógica teórica do ancião, embora horrorosa e inaceitável para a maioria das Testemunhas de Jeová, é uma leitura correta da consequência lógica final da doutrina da Torre de Vigia.

Genocídio é sempre genocídio

Quanto mais eu percebia no que a doutrina do Armagedom realmente implicava, mais eu temia que podia haver algo horrivelmente errado com a Organização que eu estava apoiando e a doutrina que promovia. Se um ato tão violento fosse cometido por uma organização ou movimento humano, eu ficaria revoltado, e condená-lo-ia pelo vil ato de barbárie que era.

Então como é que de repente se torna aceitável que as mesmas pessoas morram abatidas por uma deidade que afirma ser a própria essência do amor? Bilhões de homens, mulheres e crianças indefesos morreram horrivelmente porque não estavam convencidos de que uma religião ligeiramente obscura e insignificante, cujos seguidores às vezes batiam à sua porta, ou ficavam em silêncio ao lado de carrinhos cheios de revistas magras, era na verdade a verdadeira fé?

Como muitos antes de mim, cada vez mais eu achava que minha consciência não podia apoiar os ensinamentos promovidos pela Torre de Vigia.

Como muitos antes de mim, eu fiz um exame das minhas crenças, e assim percebi que os ensinamentos que a Torre de Vigia promovia muitas vezes nem sequer estavam em harmonia com a Bíblia.

E com o tempo, como muitos antes de mim, deixei a religião da Torre de Vigia. De certa forma, o Armagedom me libertou.


Não exatamente do jeito que a Torre de Vigia pretendia.


(Esta postagem foi traduzida com a ajuda do Google Tradutor)


Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas de Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui

3 comentários:

  1. Olá Lourisvaldo! Sempre procurando matérias e se expressando de uma maneira tão real, para tocar o coração dos que ainda não se convenceram de que estão apoiando uma Seita destrutiva, que nem de longe atinge os padrões de Deus.Desse modo pregam Jesus novamente que afirma que morreu para salvar todos os que nele cressem, e que se alimentassem do seu corpo e sangue...que não por a acaso é mais um erro imperdoável que as Testemunhas cometem por obedecerem cegamente a sua liderança...apenas passam o pão e o vinho de mão em mão e só os 144 mil,segundo eles, os verdadeiros filhos de Deus e irmãos de Cristo é que tem tal privilégio! Quanto ao Armagedom, quando ainda era novata na "verdade", perguntei à uma pioneira regular enquanto trabalhava com ela na pregação: Porque é que a gente quase não fala do Armagedom no campo com com os moradores? e ela me respondeu: "Como é que as moscas são atraídas? não é pelo açucar? Então...as pessoas também são atraídas pelas coisas boas...depois fica mais fácil elas entenderem sobre os Armagedon." Para outra pioneira eu perguntei se ela não ficava angustiada de imaginar que seus filhos e marido pudessem morrer no Armagedom se não aceitassem a "verdade" antes de ele acontecer...e ela me respondeu: "Não...porque eles tiveram a mesma oportunidade que eu tive...e Jeová nos garante que estas coisas não subirão ao nosso coração. Eu estou fazendo a minha parte e cada um terá que arcar com as suas escolhas." Lembro que fiquei pasmada com a frieza das duas, pois eu me angustiava dia e noite com a possibilidade de meus entes queridos morrerem no Armagedom, e não me media esforços pra testemunhar à eles...Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Nosso mundo tem vindo a assistir a acontecimentos bem idênticos...
    É um puro Armagedom o que temos vindo a assistir na Síria...
    Também o foi para os judeus, em plena Segunda Guerra Mundial...
    Tudo isto, para dizer que acontecimentos catastróficos tem assolado tanta gente... ao longo da história humana, e pela mão do próprio homem...
    Mais recentemente assiste-se a um recrudescimento de experiências nucleares, em vários países... aperfeiçoamento de armas químicas... pelo que o próximo... será decorrente também da acção do homem... uma vez mais... infelizmente!
    Um post ultra completo sobre o tema, que adorei ler!
    Nossa! Já não passava por aqui, há um bom tempo! Alguns problemas de saúde de um familiar próximo, têm limitado o meu tempo, nos últimos meses, mas estou voltando aos poucos, aos blogues, que não tenho conhecido acompanhar, com a frequência que gostaria...
    Um grande abraço, Lourisvaldo! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  3. A maioria das pessoas ignora que existe um conflito entre o bem e o mal, desde antes da criação. Satanás é o inimigo de Deus. Ponto! Não podemos conhecer a Deus e ignorar a existência do diabo e tudo o que lhe envolve. A Palavra de Deus, a Bíblia, é o único meio pelo qual podemos conhecer Deus, Sua vontade e a verdade sobre tudo na vida que diz respeito a Ele. Devemos estudá-la com oração e pedindo a todo instante que o Espírito Santo nos oriente e dirija nossa compreensão ao entendimento certo! Depois de compreender o que é verdade, ninguém mudará seu entendimento pois, foi Deus, através do Espírito que, lhe deu convicção. Isso fará com que você não se deixe levar por doutrinas anti-bíblicas.

    ResponderExcluir