quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Testemunhas de Jeová dão assistência humanitária a refugiados não-TJ? Última A Sentinela diz NÃO

(Traduzido de JW SurveyEnquanto as Testemunhas de Jeová continuam a se representar como uma religião que faz obras de caridade, sua última revista A Sentinela lembra fortemente a seus seguidores que qualquer assistência dada aos refugiados deve ser limitada apenas às Testemunhas de Jeová e que apoio material não deve ser dado a quem não é Testemunha.

Como afirma A Sentinela de maio de 2017, edição de estudo, página 7:


A melhor maneira de fazer isso é falar das boas novas para elas. Um ancião que já ajudou muitos refugiados disse: “É importante deixar claro logo de início que somos Testemunhas de Jeová e que nosso objetivo principal é dar ajuda espiritual, não material. Caso contrário, alguns podem estudar a Bíblia ou ir às reuniões só por interesse” [negrito acrescentado].

Entretanto, grupos religiosos de todo o mundo, juntamente com numerosos governos, têm facilitado assistência significativa às vítimas de guerras civis e outros conflitos, fornecendo comida, vestuário e abrigo a essas pessoas, sem expectativas de conversão religiosa ou reembolso. Essas mesmas organizações são as que as Testemunhas de Jeová declaram que estão condenadas à destruição completa durante o iminente apocalipse do Armagedom.

É interessante que o artigo da Sentinela citado acima conta a história de um refugiado burundiano chamado Lije, que fugiu da guerra civil em seu país e se encontrou em um campo de refugiados malawiano. O artigo afirmou:

A maior parte da família de Lije ficou anos em campos de refugiados da ONU.

De acordo com as Testemunhas de Jeová, as Nações Unidas são uma organização satânica que é descrita no livro de Apocalipse como a besta selvagem de cor escarlate com sete cabeças e dez chifres, que desonra a Deus e muito em breve será completamente destruída. É claro que isso é uma má notícia para aqueles refugiados como Lije, cuja família foi cuidada por essa organização maligna. A Sentinela descreveu este santuário de refugiados da ONU dizendo:

Mesmo ali eles não estavam seguros. Lije, que hoje é superintendente de circuito, conta: “A maioria das pessoas não tinha emprego e ficava muito tempo à toa. Por isso, elas ficavam fofocando, bebendo e fazendo apostas. Elas roubavam e levavam uma vida imoral.”

Embora os acampamentos de refugiados dificilmente possam ser considerados luxuosos resorts de estilo Club-Med, o retrato de lugares como um covil de imoralidade, locais para abusos de álcool e jogos de azar parece excessivamente desrespeitoso para essas missões humanitárias.

Testemunhas ajuda [apenas] Testemunhas

Dada a natureza insular das Testemunhas de Jeová, não é nenhuma surpresa que sua expectativa de prestar uma ajuda significativa aos refugiados seja estritamente limitada àqueles que são batizados como Testemunhas de Jeová e  em "boa posição" dentro da organização das Testemunhas. A boa posição significa que a pessoa não está quebrando nenhuma regra doutrinária, obedece aos anciãos e relata uma contagem mensal de horas passadas na atividade de pregação pública, incluindo bater nas portas e cuidar dos carrinhos de exibição da literatura. Se essas condições forem satisfeitas, uma Testemunha pode ser autorizada a dar ou receber assistência a um refugiado TJ. Estas instruções são apresentadas com bastante clareza na última Sentinela.



Procedimentos estritos estabelecidos pelo Corpo Governante da Torre de Vigia garantem que a ajuda será estendida a uma Testemunha de Jeová que seja aprovada, e que, por seu comportamento, não represente mal a organização. Como mencionado no artigo de A Sentinela, o termo "necessidades básicas" é seguido imediatamente por uma nota de rodapé (veja acima) que lembra aos anciãos da congregação que seu protocolo interno de comunicação entre filiais deve ser seguido para decidir se o refugiado é de fato uma Testemunha batizada. Uma vez contatada, a filial do pais de onde vem o refugiado tenta chegar aos anciãos da congregação original da pessoa, onde mantêm seu "Cartão de Registro de Publicador" - um documento privado mantido por todas as congregações das Testemunhas de Jeová no mundo. Este documento contém informações pessoais extensas, incluindo a data do batismo da pessoa e registros recentes da atividade do ministério de campo.

Se o sistema de comunicação ancião-filial via jw.org falhar, os anciãos são instruídos a fazer ‘perguntas com jeito’ ao refugiado, de forma que, ainda que secretamente, possa identificar a "condição espiritual" dele. Garantem assim que a assistência seja prestada SOMENTE para aqueles que são genuínos pregadores de porta-em-porta e estudantes da Torre de Vigia – isto é, pessoas obedientes aos regulamentos. Se você não é, nenhuma assistência social para você.

Nota dos editores: Ao me referir à "ajuda" ou "assistência" a refugiados, gostaria de esclarecer que esta ajuda vem das Testemunhas de Jeová individuais e NÃO da própria organização ou de qualquer das suas congregações.


Torre de Vigia impõe limites severos a refugiados TJs

Como se não fosse difícil o suficiente para os refugiados Testemunhas de Jeová se adaptarem a outra cultura, eles são advertidos contra aceitar empregos que possam interferir com as reuniões das Testemunhas. A mesma Sentinela de maio diz:

Às vezes, nossos irmãos refugiados não conseguem entrar em contato com a congregação porque as autoridades fazem coisas que acabam dificultando isso. Algumas organizações do governo dizem que os irmãos não podem recusar um emprego só porque vão perder as reuniões. Se os irmãos não aceitarem, elas ameaçam parar de ajudá-los ou até mandá-los embora do país. Com medo e sem saber o que fazer, alguns irmãos acabam cedendo à pressão. Por isso, é muito importante entrar em contato com os irmãos refugiados o mais rápido possível.[Negrito acrescentado] (A Sentinela de maio, edição de estudo, página 5)

A assiduidade às reuniões de doutrinação da Torre de Vigia é primordial. No entanto, a organização TJ leva questões um passo mais longe, lembrando aos seus seguidores que eles não devem associar-se com seus próprios parentes de sangue, ou com outros refugiados não Testemunhas que normalmente dariam apoio e ajuda. A Sentinela continua:

Os refugiados tiveram que fugir de repente e deixar tudo pra trás, como sua família, congregação e o lugar onde cresceram. Quando estão com os irmãos, eles precisam sentir o amor e o carinho de Jeová. Caso contrário, eles podem acabar se aproximando de parentes que não são cristãos ou de pessoas que são do seu próprio país, já que se identificam com a cultura e os costumes deles.[Negrito acrescentado] (A Sentinela de maio de 2017, edição de estudo, página 6).

Restrições de trabalho, isolamento da família, isolamento de compatriotas. Esta organização está demostrando ser uma instituição de caridade ou um culto?

Testemunhas de Jeová: não é uma entidade de assistência humanitária

Esta mesma política de auto-ajuda das Testemunhas de Jeová se aplica a todos os aspectos de qualquer trabalho que considerem humanitário. Por exemplo, as Testemunhas de Jeová alegam envolver-se em trabalhos de socorro em prol das vítimas de furacões e outras tragédias. Tendo sido um TJ que esteve intimamente envolvido com este trabalho por décadas, posso assegurar-vos que nenhum deste trabalho é dirigido a alguém fora da organização das Testemunhas de Jeová. As únicas exceções a isso são quando prestação de assistência ou construção e reparação são feitas com a intenção de receber algo em troca.

Casa de Testemunha de Jeová danificada pelo furacão Luis, 1995. Foto: John Redwood


Por exemplo, quando o furacão Luis atingiu as Ilhas Leeward em 1995, as Testemunhas de Jeová organizaram esforços para ajudar outras Testemunhas em várias ilhas, incluindo Antigua. Lembro-me de discutir nossos planos de projeto com o superintendente de construção. Ele disse: "Vamos reparar a casa de um funcionário aqui em Antígua." [O funcionário não era Testemunha] - Ele então explicou que este oficial era responsável pelo frete que entrava e saía do porto principal de Antígua, e se um de nossos voluntários reparasse sua casa, ele liberaria o carregamento de suprimentos que precisávamos, que estavam sendo detidos pelos fiscais. Em outras palavras, fizemos um acordo obscuro para reparar a casa desse homem em troca de seu poder para liberar nossos containers. Nosso superintendente de construção declarou que esta era a direção de Deus, provando que Jeová estava apoiando nosso trabalho, ao mesmo tempo que aparentemente negligenciava o trabalho de ajuda de todas as agências humanitárias que não fossem Testemunhas.

Não há nada que a Torre de Vigia fará pela caridade em nome da humanidade sem restrições. Embora as Testemunhas de Jeová tenham participado pessoalmente em doações de caridade, o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová não dá nada à sociedade. Até mesmo seus esforços mais recentes em Warwick, Nova York, para reparar uma barragem, melhorar uma via verde e construir uma pequena cabine de imprensa foram todos com o objetivo de satisfazer um acordo feito com uma cidade que, de outra forma, perdeu todas as receitas fiscais da nova sede mundial das Jeová Testemunhas. Após o furacão Sandy, a Torre de Vigia coordenou os reparos de centenas de casas usando o trabalho gratuito de Testemunhas de Jeová, mas exigiu que as vítimas beneficiadas pelas Testemunhas de Jeová entregassem suas apólices de seguro, compensando a organização TJ pelo trabalho de seus próprios voluntários.

As Testemunhas como uma organização não operam campos de refugiados, nem possuem abrigos para sem-teto, não dão nada para caridade, mas acumularam bilhões de dólares em imóveis, muitos dos quais têm convertido em lucro às custas dos cidadãos que pagam impostos nos Estados Unidos e em todo o mundo. Elas exploraram todos os meios possíveis para adquirir dinheiro, incluindo vários pedidos de fundos em seus programas de TV JW Broadcasting, bem como uma extensa lista de maneiras de coletar dólares como documentado em seu site jw.org – mas ainda são incapazes de assinar um cheque, por menor que seja, para a caridade.


A Sentinela (edição de estudo), novembro de 2015.

Não se pode deixar de pensar nos obesos sete membros do Corpo Governante da Testemunha de Jeová em Warwick, New York, empoleirados em contas bancárias de bilhões de dólares, voando pelo mundo em cadeiras de classe empresarial, enquanto as Testemunhas de Jeová em países do terceiro mundo são despojadas; a elas, embora sejam desestimuladas a obter educação superior, são esperados que doem generosamente.

Em tempos de crise, devemos refletir sobre a generosidade dos países que abriram as suas fronteiras aos imigrantes, independentemente da sua raça ou religião. Muitos são recebidos por organizações de caridade, com voluntários sem motivos ocultos, mas cujo único desejo é dar uma mãozinha, não esperando nada em troca. Às entidades de caridade são normalmente concedidas estatuto de isenção de impostos pelos governos para ajudá-las a cumprir seu trabalho honrado. Como uma religião, às Testemunhas de Jeová são concedidas esta isenção em várias terras.

Se você acredita em milagres, talvez o maior milagre de todos seja o fato de que as Testemunhas de Jeová redefiniram o que significa ser uma instituição de caridade.

(Esta postagem foi traduzida com a ajuda do Google Tradutor)


Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas de Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui. 

7 comentários:

  1. Quando se isola um trecho do contexto pode dar uma interpretação errada, no começo no paragrafo que acima fora citado só um trecho diz que as testemunhas de jeová devem ajudar todos ,mesmo os que não sã tjs, assim estariam imitando o bom samaritano, outra coisa que vi é que em negrito a fala do ancião não diz que a unica maneira que as testemunhas tem ajudar alguém é espiritual, mas disse que a melhor maneira, não vi nesta frase o descarte da ajuda material, ,, não somos mais testemunhas de jeová,mas interpretação de texto tem que ser meticulosa pra não divulgarmos informações distorcidas, temos que levar em conta o contexto, isto é vital pra não passarmos informações equivocadas, ,, muita paz a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Souza, por sua palavras francas. Ocorre que a sua interpretação do texto é justamente a que o Corpo Governante quer que façam as Testemunhas de Jeová e principalmente a comunidade. Não há, porém, nenhuma matéria de jornal, e nem mesmo artigos de A Sentinela, que contrarie a mensagem passada pela postagem.

      Excluir
    2. Muito interessante suas observações Lourisvaldo. Sou TJ há 30 anos,S.Minist., mas desde que assisti o vídeo de Geoffrey Jackson na Comissão Real Australiana, eu tive um "estalo". Só então, comecei a pesquisar. Hoje consigo perceber com clareza a manipulação da seita e em como ela escolhe bem as palavras para manter os irmãos cativos desse conceito ilusório de que são os representantes de Deus. Somos usados por essa empresa de fachada religiosa, e afastados do que Jesus realmente ensinou. Graças a Deus hoje eu enxergo, e estou saindo.

      Excluir
  2. Que horror isto! É mesmo de admirar que diante de todos estes fatos, alguém possa querer minimizar a atitude egoísta e hipócrita desta organização/corporação milionária as custas de trabalho escravo,em relação a um princípio básico Cristão de ajudar os em necessidade, sem primeiro tomar todas as precauções para saber se é ou deixa de ser digno de tal ajuda.Não dizem eles, que tudo o que está na bíblia,não está sem uma razão? Com certeza a história do bom Samaritano está lá por alguma razão.Como já se expressou alguém:Com certeza Jesus quando expressou que os seus discípulos seriam reconhecidos pelo amor entre eles,não tivesse um idéia tão limitada disso.Fica evidente por essas e outras que, que estas pessoas jamais irão captar a verdadeira dimensão do recado de Jesus.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Lourisvaldo.
    É meu amigo quando penso que não vou mais me chocar com nada, ainda fico chocada. Imagine o resultado de tudo isso. Um testemunho de jeová observa uma familia em dificuldade e não ajuda e ainda nega auxilio. Essas pessoas necessitadas são filhos de Deus como todos nós. Então no dia do julgamento quem negou ajuda vai ser interrogado porque não praticaram os mandamentos, porque não ajudou os seus irmãos, porque negou a pratica da caridade e amor ? e ele responderam eu só ajudo aos testemunho de Jeova KKK. Coitados vão se privar de tantas coisas para agradar ao criador e estão desagradando da pior forma ao negar ajudar uns aos outros. Pois amar a Deus e fazer o bem sem olhar a quem deveria ser um ato natural, afinal Deus é amor, quem permanece no amor permanece com Deus. Assim como conheço pessoas dessa religião boas, conheço pessoas que agem como o diabo gosta rsrs. E ainda uso o nome de Deus para lesar, roubar e fazer o mal. Por isso que Jesus mandou amar a todos, pois nunca saberemos de fato quem presta ou não, o julgamento cabe a Deus. Felizes dias. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Hoje pela manhã recebi por Mensagem Privada uma pergunta sobre se há risco de alguém sofrer um processo, por parte da Torre de Vigia, em razão de compartilhar nas redes sociais uma matéria "apóstata", como este artigo do meu blog. Em razão de não ter conseguido responder por e-mail, ponho aqui a resposta. Espero que quem fez a pergunta também a leia.



    "Oi, xxxxxxxx!

    Muito obrigado pelo apoio, isso me motiva a fazer mais pela "verdade".

    Sim, xxxxxxxx, tanto a filial brasileira como a associação jurídica da sua região podem processar quem eles quiserem, caso se sintam atingidos na sua honra, e acharem que podem fazer isso legitimamente, com razoáveis chances de ganharem o processo, e sem que isso traga ainda mais publicidade negativa sobre a religião.

    Ocorre que a maioria dos dissidentes (ou "apóstatas") é pautada pela verdade, segue à risca a linha editorial do bom jornalismo, procurando se certificar dos fatos, e em muitas vezes, como até eu já fiz, consulta a própria Torre de Vigia, dando a ela o direito de resposta, antes de publicar qualquer coisa. A Tore de Vigia raramente responde a jornalistas, e quando o faz, da respostas evasivas. Aos apóstatas, ela geralmente prefere não responder, já que as Testemunhas estão proibidas de ler qualquer matéria publicada por eles.

    É isso, amiga xxxxxxxx! Não te aconselho a compartilhar matéria no seu face caso isso possa ter trazer problemas. Um processo dificilmente ocorrerá, mas pode te dar grandes dor de cabeça com os anciãos locais.

    Mas tudo fica a seu critério, amiga.

    Grande abraço!"

    ResponderExcluir
  5. Perdão Claudio Sousa, mas parece que foi você que não leu o que está escrito, o texto está bem claro e definido. Depois de tratar de uma situação específica de um certo irmão (TJ é claro) o segundo parágrafo é muito enfático na distinção de tratamento entre os diferentes grupos de refugiados: Como podemos ajudar os irmãos (TJs é claro) refugiados a ‘servir a Jeová com alegria’ E como podemos pregar aos refugiados que ainda não conhecem a Jeová?

    ResponderExcluir