quarta-feira, 5 de julho de 2017

Dirigida pelo Espírito Santo


(Traduzido de JW Facts) A Torre de Vigia reivindica ter a direção do espírito santo de Deus na formulação de doutrina, bem como em nomeação e remoção de pessoas. Isso é provado falso por doutrinas incorretas e por nomeação de irmãos enquanto estão envolvidos em pecados graves.

Uma organização terrena que afirma audazmente ter o monopólio da salvação deve apresentar prova de uma ligação direta com Deus. A Sociedade Torre de Vigia faz isso alegando orientação pelo espírito santo.


Em toda a Terra, o povo de Jeová recebe ampla instrução espiritual e encorajamento nas reuniões congregacionais, nas assembléias, nos congressos e por meio das publicações da Sua organização. Sob a orientação de seu espírito santo e à base de sua Palavra da verdade, Jeová fornece o que é necessário para que todos os seus servos estejam “aptamente unidos na mesma mente e na mesma maneira de pensar” e permaneçam “estabilizados na fé”. (1 Cor. 1:10; Col. 2:6, 7) Certamente somos gratos pelas provisões espirituais de Jeová nestes últimos dias. Assim, “o escravo fiel e discreto” não apóia quaisquer publicações, reuniões ou páginas na internet que não sejam produzidas ou organizadas sob a supervisão dele. — Mat. 24:45-47.(Nosso Ministério do Reino de setembro de 2007, página 3)
Elas não afirmam que essa classe-escravo seja infalível, mas deveras a encaram como o único canal que o Senhor está usando nos últimos dias deste sistema de coisas (Proclamadores do Reino, página 626, 627).

De que forma o Espírito Santo de Jeová dirige a Sociedade Torre de Vigia? Qual é a influência sobre a doutrina e de que maneira está envolvido na nomeação de irmãos para cargos de autoridade? Estas são questões importantes a serem respondidas antes da discussão sobre se a doutrina da Torre de Vigia está correta. Se provado que Deus dirige ativamente o Corpo Governante, então eles devem ser seguidos; mas se eles são simplesmente estudantes bem-intencionados da Bíblia, então cada palavra não deve ser tomada como de origem divina.

O ensinamento oficial é que o espírito santo de Jeová dirige ativamente o moderno Corpo Governante na interpretação bíblica e nomeia irmãos para cargos de supervisão.

Aumentaremos também o nosso regozijo se, com oração e diligência, estudarmos a inspirada Palavra de Deus e publicações cristãs preparadas sob a direção do espírito. (A Sentinela de 15 de março de 1992, página 22).
Em nossos dias, quando chega o tempo para esclarecer certo assunto espiritual, o espírito santo ajuda homens de responsabilidade, que representam o “escravo fiel e discreto” na sede mundial, a discernir verdades profundas não entendidas antes. (Mat. 24:45; 1 Cor. 2:13) O Corpo Governante como um todo analisa possíveis ajustes numa explicação. (Atos 15:6) As suas conclusões são publicadas em benefício de todos (A Sentinela de 15 de julho de 2010, página 23)

A Torre de Vigia declara especificamente que o espírito santo a dirige na interpretação da Bíblia e tomada de decisões.

Terceiro, o espírito santo está ativo em trazer à luz verdades bíblicas. (A Sentinela de 15 de abril de 2010, página 10; artigo “O papel do espírito santo no cumprimento do propósito de Jeová”)
Considere também que só a organização de Jeová, em toda a terra, é dirigida pelo espírito santo ou a força ativa de Deus. (Zac. 4:6). Apenas esta organização funciona para o propósito de Jeová e para o seu louvor. Ela é a única para a qual a Palavra Sagrada de Deus, a Bíblia, não é um livro lacrado. Muitos no mundo são muito inteligentes, capazes de entender assuntos complexos. Podem ler as Escrituras Sagradas, mas não podem entender seu significado profundo. No entanto, o povo de Deus pode compreender tais coisas espirituais. Por quê? Não por causa de inteligência especial de sua parte, mas, conforme declarou o apóstolo Paulo: “Porque é a nós que Deus as tem revelado por intermédio de seu espírito, pois o espírito pesquisa todas as coisas, até mesmo as coisas profundas de Deus (A Sentinela de 1º de janeiro de 1974, página 18).
"Em 1942, o" escravo fiel e discreto", guiado pelo espírito infalível de Jeová, sabia que as democracias venceriam a Segunda Guerra Mundial e que uma organização das Nações Unidas seria criada (A Sentinela de 15 de julho de 1960, página 444; ver texto original).


A Torre de Vigia afirma possuir as opiniões de Deus, não as de homens.

A Sentinela não é o instrumento de nenhum homem ou grupo de homens, nem é publicada de acordo com os caprichos dos homens. A Sentinela não contém a opinião de homem algum; antes, é Deus que alimenta seu próprio povo, e certamente Deus usa aqueles que o amam e servem de acordo com sua própria vontade. Aqueles que se opõem à Torre de Vigia não são capazes de discernir a verdade que Deus está dando aos filhos de sua organização, e essa é a prova mais forte de que tais opositores não são da organização de Deus (A Sentinela de 1 de novembro de 1931, página 327; ver texto original).
É vital que apreciemos esse fato e correspondamos às instruções do "escravo" como se fosse a voz de Deus, porque o escravo é provisão dele (A Sentinela de 15 de junho de 1957, página 370; ver texto original).

Seguir a direção da Torre de Vigia é semelhante a seguir o próprio Jeová, e um requisito para a salvação.

Segundo a Torre de Vigia, só se pode entender a Bíblia com a
ajuda do Escravo Fiel e Prudente das Testemunhas de Jeová
Servos fiéis de Jeová sempre se sujeitaram de bom grado às orientações teocráticas. (Leia Hebreus 13:7, 17.) A princípio, nós talvez não entendamos plenamente os motivos de realizarmos nossa designação de determinada maneira. No entanto, sabemos que há benefícios de cooperarmos com Jeová em qualquer ajuste que ele ache necessário (A Sentinela de 15 de outubro de 2014, página 24,25).
Hoje, Jeová orienta seu povo por meio da Bíblia, do seu espírito santo e da congregação. (Atos 9:31; 15:28; 2 Tim. 3:16, 17) As orientações que recebemos dele são tão claras que é como se ‘nossos ouvidos ouvissem atrás de nós uma palavra dizendo: “Este é o caminho. Andem nele.”’ (Isa. 30:21) Jesus também transmite a voz de Jeová para nós à medida que orienta a congregação por meio do “escravo fiel e discreto”. (Mat. 24:45). Precisamos levar a sério essa orientação porque nossa vida eterna depende de nossa obediência (A Sentinela de 15 de agosto de 2014, página 21).

As publicações da Torre de Vigia contêm a verdade do Soberano Senhor.

"O Soberano Senhor dá a palavra." ... A expressão "a palavra", portanto, engloba toda a revelação da verdade e incluindo até o livro Vindicação e tudo o que deve ser revelado e publicado, pela graça do Senhor, desde que o remanescente está na terra (A Sentinela de 1 de abril de 1932, página 101; ver texto original).
No entanto, este site lista inúmeras mudanças doutrinárias promovidas como verdade que mais tarde foram admitidas como erradas. Muitos ensinamentos não podem ser considerados como ‘luz mais brilhante’ porque eram doutrinas significativas, mas eram errados e foram completamente substituídos. Embora as Testemunhas de Jeová desconsiderem isso, as mudanças doutrinárias importam se uma religião reivindica a direção de Jeová. Elas importam quando uma religião exige obediência inquestionável. Devemos ver que elas são particularmente importantes quando relacionadas com decisões médicas que ameaçam a vida.



Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas de Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui



Infalibilidade Provisória

A Organização opera sob o conceito confuso de "Infalibilidade Provisória". Por um lado, a informação contida na Sentinela é de Deus e deve ser aceita sem questionamento; por outro lado, a Torre de Vigia reconhece que cometeu erros significativos.

A Organização usa o conceito irracional de que o Espírito Santo a dirige, mas que não é inspirada. Isto é ilógico, pois inspirado significa ser dirigido pelo Espírito Santo. Os conceitos de infalibilidade e inspiração são simples, mas discuti-los de acordo com os ensinamentos da Torre da Vigia torna-se complicado porque, por definição, é impossível ser dirigido pelo Espírito Santo, mas não ser inspirado. De acordo com o American Heritage Dictionary of the English Language, quarta edição:

Infalível => "Incapaz de errar" (portanto, ser infalível significa ser perfeito).

Inspirar => "Afetar, guiar ou despertar pela influência divina" (ou, em outras palavras, inspirado significa ser dirigido pelo Espírito Santo).

Portanto, se a Organização reivindica ser dirigida por Espírito Santo, ela, por definição, reivindica ser inspirada. Nesse caso, não pode cometer erros; por definição, deve ser infalível da mesma maneira que a Bíblia é infalível.

  • Por definição

Dirigido por Espírito Santo = Inspirado

  • A Bíblia

Dirigida por Espírito Santo =  Inspirada
Infalível (sem erros)

  • Torre de vigia

Dirigida por Espírito Santo = / Inspirado
Falível (contém erros).


Visto que essa fórmula destaca a falha do raciocínio da Torre de Vigia, esta organização religiosa contradiz-se ao dizer que o Espírito Santo de Deus dirige suas doutrinas, mas elas não são necessariamente corretas.

Um exemplo disto consta no livro de Revelação, edição  de 1988. O segundo capítulo faz a afirmação de que a explicação do Apocalipse no livro é dirigida pelo espírito de Deus. No terceiro capítulo, o "Escravo" até se compara ao apóstolo João, afirmando ser o canal equivalente na Terra hoje, usado por Jeová da mesma forma que o apóstolo João foi e dirigido pelo espírito de Deus. Então a ideia inserida sugere que as interpretações do “Escravo” não são infalíveis, como eram as de João.

Os mistérios encerrados no livro de Revelação por muito tempo deixaram intrigados os estudantes sinceros da Bíblia. No tempo devido de Deus, esses segredos teriam de ser descerrados, mas como, quando e a quem? Somente o espírito de Deus podia dar a conhecer o significado deles, ao passo que se aproximava o tempo designado. (Revelação 1:3) Esses segredos sagrados seriam revelados aos zelosos escravos de Deus na Terra, para que ficassem fortalecidos para divulgar os julgamentos Dele. (Mateus 13:10, 11) Não se afirma que as explicações nesta publicação sejam infalíveis. Dizemos assim como José, na antiguidade: “Não pertencem a Deus as interpretações?” (Gênesis 40:8) ... Deus tinha um canal para comunicar Revelação nos dias de João, e João era a parte terrestre deste canal. Do mesmo modo, Deus tem um canal para prover hoje nutrição espiritual aos seus ‘escravos’. Jesus, na sua grande profecia a respeito da terminação do sistema de coisas, identificou a parte terrestre deste canal como “o escravo fiel e discreto a quem o seu amo designou sobre os seus domésticos, para dar-lhes o seu alimento no tempo apropriado”. (Mateus 24:3, 45-47) Ele usa esta classe de João para descerrar o significado da profecia...Os da classe de João, alguns dos quais compartilharam por mais de 70 anos no cumprimento dessas visões, estão felizes em que o espírito de Deus desbloqueou o significado para que eles possam explicá-lo aos outros (Revelação – Seu Grandioso Clímax Está Próximo, páginas 9, 16).

A afirmação é que o Espírito Santo dirige o Corpo Governante moderno da mesma forma que dirigiu a organização de Jeová no passado.

O espírito santo é a força ativa do Deus vivo, que ele envia através do seu Filho, Cristo Jesus, e que opera para o povo de Jeová, iluminando e dirigindo sua organização teocrática na Terra hoje como aconteceu nos dias dos apóstolos (A Sentinela de 15 de maio de 1960, página 300; ver texto original).
Os homens desse corpo governante, como os apóstolos e anciãos em Jerusalém, têm muitos anos de experiência no serviço de Deus. Mas não confiam na sabedoria humana ao fazerem decisões. Não, sendo governados teocraticamente, seguem o exemplo do primitivo corpo governante em Jerusalém cujas decisões baseavam-se na Palavra de Deus (Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, página 195).

No entanto, a Sociedade afirma não ser inspirada ou infalível.

O Corpo Governante não recebe revelações da parte de Deus nem é perfeito. Por isso, ele pode cometer erros ao explicar assuntos da Bíblia ou ao dar orientações. Tanto é que no Índice encontramos o assunto “Esclarecimento de Crenças”, com uma lista de ajustes em nosso entendimento da Bíblia desde 1870. Na verdade, Jesus não disse que o escravo ia dar alimento espiritual perfeito (A Sentinela de fevereiro de 2017, edição de estudo, página 26).
O Corpo Governante compõe-se dum grupo de homens cristãos ungidos [...] Estes presidem às atividades mundiais das Testemunhas de Jeová. Não são inspirados por Deus, e por isso não são infalíveis, mas se estribam na Palavra infalível de Deus, como a autoridade máxima na terra (As Testemunhas de Jeová — Unidas em Fazer Mundialmente a Vontade de Deus, página 26).





“Os irmãos que preparam essas publicações não são infalíveis. Seus escritos não são inspirados assim como eram os de Paulo e dos outros escritores bíblicos (Despertai! de 22 de março de 1993, página 4).

É uma contradição para o Corpo Governante dizer, em um artigo, que eles não são inspirados, mas, em outro, que o Espírito Santo os dirige. Leiamos juntos as seguintes declarações claramente contraditórias.

Jeová Deus deu a conhecer a seus ungidos, com antecedência, o que essas escrituras significam (A Sentinela de 1º de junho de 1931, página 160).
O povo de Jeová não confessa hoje nenhum poder de inspiração (A Sentinela de 15 de abril de 1952, página 253; ver texto original). 

Não vejo nenhuma implicação de que os membros individuais da Organização de Jeová precisam ser infalíveis. Como todos os seres humanos são imperfeitos, Deus sempre usou humanos imperfeitos, como Moisés, Davi e Paulo. No entanto, se o Espírito Santo de Deus, no passado, inspirou as pessoas imperfeitas a escrever suas palavras perfeitas e infalíveis na Bíblia e, se o seu Espírito Santo dissesse que, nos dias atuais, está dirigindo o povo de Jeová através da Torre de Vigia da mesma maneira, essas instruções seriam inspiradas e deviam ser infalíveis. Se as palavras de Deus não são mais infalíveis, o seu atual canal terrestre não está sendo dirigido pelo Espírito Santo, como sempre foi o canal de Jeová. A Torre de Vigia não deve exigir lealdade inquestionável e não tem a autoridade de Deus para exigir rigorosamente a obediência à sua interpretação da Bíblia.

Note que, embora os anciãos de Jerusalém fossem falíveis, seus escritos eram inspiraram.

Ela foi apresentada aos apóstolos e anciãos em Jerusalém, os quais serviam como corpo governante central. Esses anciãos não eram infalíveis; não eram pessoas que nunca cometiam um engano. (Veja Gálatas 2:11-14.) Mas Deus usava-os. Eles consideraram o que as Escrituras inspiradas diziam sobre o assunto em pauta, bem como a evidência da operação do espírito de Deus em abrir o campo gentio, e depois fizeram uma decisão. Deus abençoou este arranjo (Unidos na Adoração do Único Deus Verdadeiro, página 120).

Embora os escritores da Bíblia não fossem infalíveis, eles foram inspirados; então tudo o que eles escreveram na Bíblia era infalível. Os membros do corpo governante apostólico eram falíveis, mas como um corpo, eles foram inspirados, de modo que suas decisões, interpretações e escritos eram infalíveis. Esta é uma diferença significativa. Na verdade, este é o cerne do assunto e fundamental para entender a verdade na premissa da Sociedade Torre de Vigia. Para o Corpo Governante dizer que o Espírito Santo também orienta suas interpretações e predições e, no entanto, cometerem erros, deve limitar-se à blasfêmia. Quando o Espírito Santo dirige uma pessoa, ela não comete erros; se assim não fosse, qual era o objetivo da direção do Espírito Santo?

A Torre de Vigia não tem escolha senão dizer que o Espírito Santo dirige a Organização porque esta é uma profecia bíblica e a forma como o povo de Jeová sempre foi dirigido.

Vivemos também no tempo do cumprimento final da profecia a que o apóstolo Pedro se referiu no dia de Pentecostes, a saber:  “Depois disso, derramarei meu espírito sobre todo tipo de pessoas, E os filhos e as filhas de vocês profetizarão, Os homens idosos entre vocês terão sonhos, E os jovens entre vocês terão visões. 29 E até mesmo sobre meus escravos e minhas escravas Derramarei meu espírito naqueles dias “(Joel 2:28, 29) (A Sentinela de 15 de janeiro de 1958, página 45; ver texto original ).

A Bíblia declara em termos muito claros que o Espírito Santo dirigiu os primeiros cristãos; isso força a que as Testemunhas de Jeová tenham que dizer que o Espírito Santo também dirige o Corpo Governante da Sociedade Torre de Vigia em nossos dias.

Todo o impulso ou ímpeto do espírito santo de Deus apontava numa só direção, e, assim, reconhecendo isso, ao escrever a carta transmitindo sua decisão, este corpo ou conselho disse: “Pois, pareceu bem ao espírito santo e a nós mesmos não vos acrescentar nenhum fardo adicional, exceto as seguintes coisas necessárias. ” — At 15:1-29 (Estudo Perspicaz das Escrituras, volume 2, página 37).

Se o Corpo Governante quer reivindicar ser como a primitiva congregação cristã, então, como um corpo, ele deve ser guiado pelo Espírito Santo e infalível. Dizer o contrário é contrariar a Bíblia.

Cumprindo a promessa de Jesus registrada em João 16:13, “o espírito da verdade” iria guiar a congregação cristã progressivamente a toda a verdade (João 16:13) 13 No entanto, quando ele vier, o espírito da verdade, ele os guiará a toda a verdade, pois não falará de sua própria iniciativa, mas falará o que ouvir e declarará a vocês as coisas que virão (A Sentinela de 15 de março de 1990, página 11).

Note-se que João 16 não dar margem para orientação mentirosa.  As coisas nem sempre podem ser claras ao mesmo tempo. Elas podem ser progressivas, mas sempre serão verdadeiras. Também seriam reveladas antes do evento ('as coisas que virão”), não só após.

A posição contraditória da Torre de Vigia, segundo a qual o Corpo Governante é dirigido da mesma maneira que os primeiros cristãos, mas que as decisões cristãs iniciais são infalíveis, mas as dele não, é necessária em razão de seus erros e mudanças de curso.

Em retrospectiva, os erros da Torre de Vigia são justificados da maneira menos desconfortável.
A crescente luz sobre a Palavra de Deus, bem como os fatos da história, exigiram repetidas vezes ajustes de uma espécie ou de outra, até o tempo atual. Mas, não nos esqueçamos de que a motivação deste “escravo” sempre foi pura, altruísta; sempre foi bem-intencionada [...] Para os que realmente amam a lei de Deus, não há pedra de tropeço (A Sentinela de 1º de setembro de 1979, página 23,24).

No entanto, quando não justifica erros, a mensagem é bastante diferente. Discordar destes ensinamentos, reconhecidamente falíveis, é ser desleal ao próprio Jeová, levando à destruição.

Uma observadora notou que esses homens “criticavam os artigos de A Sentinela, não desejando aceitá-la como . . . o canal da verdade de Deus, e sempre tentavam influenciar outros em seu modo de pensar”. Anciãos leais, porém, nunca tentam influenciar outros para rejeitarem algo do alimento espiritual provido por Deus mediante o escravo fiel. Todos nós, como dedicadas Testemunhas de Jeová, temos de ser leais a ele e à sua organização. Nunca devemos nem pensar em desviar-nos da maravilhosa luz de Deus, seguindo um rumo apóstata, que pode levar à morte espiritual agora, e por fim à destruição (A Sentinela de 15 de novembro de 1992, página 19, 20).

Não é errado que o Corpo Governante admita não ser inspirado e ter cometido erros; é errado fazer tal admissão e, em seguida, exigir uma adesão estrita à sua própria direção, ao afirmar que ele é o canal exclusivo de comunicação com Jeová.


Direção sobrenatural


Russell

Russell afirmou ser o porta-voz de Deus, guiado pelo Senhor.

Não, as verdades que eu apresento, como porta-voz de Deus, não foram reveladas em visões ou sonhos, nem pela voz audível de Deus, nem tudo de uma vez, mas gradualmente, especialmente desde 1870, e particularmente desde 1880. Nem foi esse claro desenrolar da verdade devido a qualquer pureza humana ou agilidade de percepção, mas ao simples fato de que o devido tempo de Deus chegou; e se eu não falasse, e nenhum outro agente pudesse ser encontrado, as próprias pedras clamariam. A seguinte história é apresentada, não apenas porque fui instado a fazer uma revisão das lideranças de Deus no caminho da luz, mas especialmente porque acredito que seja necessário que a verdade seja modestamente dita, que desajustes e distorções prejudiciais sejam desarmados, e que nossos leitores possam ver como o Senhor tem ajudado e guiado [...] Então eu sabia por que o Senhor me havia conduzido tão devagar e cautelosamente. Eu precisava de uma preparação especial de coração para a apreciação plena de tudo o que continha, e eu estava mais seguro de que não era da minha própria sabedoria; afinal por que não me foi revelado tudo de uma só vez? (A Sentinela de 15 de julho de 1906, páginas 230, 234; ver texto original aqui e aqui).

A Torre de Vigia afirma que Russell não deveria aceitar o crédito por suas obras, porque foram elaboradas sob a orientação do espírito de Deus.
As Testemunhas de Jeová admiram as qualidades que ele possuía como homem, mas, ao darmos honra e crédito ao Pastor Russell, estaríamos dizendo que as obras e o sucesso eram dele; porém as Testemunhas de Jeová acreditam que é o espírito de Deus que orienta e dirige seu povo (As Testemunhas de Jeová no Propósito Divino, página 63; ver texto  original).

A atual estrutura e doutrina da Sociedade Torre de Vigia é tão diferente do tempo de Russell que o faria ficar espantado com tal orientação.


Rutherford

Rutherford também afirmou que seus livros eram revelações do Senhor. Ao longo do tempo, ele chegou à conclusão de que, uma vez que Jesus estava entronizado, o espírito sagrado deixou de orientar o escravo e Jesus estava usando seus anjos para dirigir seu povo.

Nos últimos meses, o Senhor revelou ao seu povo uma compreensão mais clara da organização do Diabo e de seu propósito de destruir esse sistema perverso para que as pessoas possam ter uma libertação completa. Ele prazerosamente permitiu que essa mensagem aparecesse num livro intitulado LIBERTAÇÃO. Deus não forneceu este instrumento nas mãos da classe ungida? Deixe aqueles que assim acreditam estudar cuidadosamente a mensagem contida nela e estar preparado para usá-lo (A Sentinela de 15 de agosto de 1926, página 248; ver texto original)
"Nos dias atuais, Deus usa anjos para ensinar seu povo na terra". (Despertai! de 8 de novembro de 1933, página 69; ver texto original).
"Certos deveres e interesses do reino foram entregues pelo Senhor aos seus anjos, que incluem a transmissão de informações para o povo ungido de Deus na terra, para sua ajuda e conforto. Embora não possamos entender como os anjos transmitem essa informação, sabemos que eles fazem isso " (Preparação, de 1933, páginas 36, 37; ver texto original).
"A iluminação procede de Jeová ... e é dada aos fiéis ungidos ... o remanescente é instruído pelos anjos do Senhor. O remanescente não ouve sons audíveis, porque tal não é necessário. Jeová forneceu a sua própria boa maneira de transmitir pensamentos às mentes de seus ungidos "(Preparação, de 1933, página.64; ver texto original). 
"Nenhum homem pode interpretar corretamente a profecia, e o Senhor envia seus anjos para transmitir informações corretas ao seu povo" (A Sentinela de 15 de fevereiro de 1936, página 52). 
"O juiz Rutherford não pôde escrever essas coisas a menos que ele fosse usado de Deus" (Despertai! de 23 de outubro de 1935, página 50). 

Essa reivindicação de som incomum não tem precedência, pois Deus falou aos seus servos através dos anjos no passado. No entanto, não há como fugir à questão:  se os anjos deram ensinamentos a Rutherford, por que tantas coisas estavam erradas? Uma descrição mais apropriada da inspiração de Rutherford aparece nos trabalhos do psicólogo William James. 1

"Talvez mais além do que outros tipos de gênio, os líderes religiosos foram sujeitos a visitas psíquicas anormais. Invariavelmente, eles foram criaturas de sensibilidade emocional exaltada, sujeitas a obsessões e idéias fixas, e freqüentemente caíram em transes, ouviram vozes, tiveram visões, e apresentaram todo tipo de peculiaridades que normalmente são classificadas como patológicas ".






Em tempos mais recentes, o Corpo Governante, contraditoriamente, afirma não receber revelação angélica.

Aqueles que compõem a única genuína organização cristã hoje não recebem revelações angélicas nem inspiração divina. Mas contam com as inspiradas Escrituras Sagradas, que contêm revelações dos pensamentos e da vontade de Deus (Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino, de 1993, página 708).


Orientação atual

Nos últimos anos, a Torre de Vigia afirma que Jesus usa os anjos e o Espírito Santo para guiar sua congregação.

Cristo usou sua autoridade por liderar ativamente sua congregação na terra. Fez isso por meio do espírito santo, dos anjos e do corpo governante composto dos 12 apóstolos e dos anciãos da congregação de Jerusalém. Jesus declarou que estaria com os seus discípulos até à terminação do sistema de coisas, tempo em que nos encontramos agora. No artigo que segue veremos que ele ainda é o Chefe ativo da congregação cristã e como lidera hoje suas “ovelhas” (A Sentinela de 1º de agosto de 1987, página 15).

Um membro do Corpo Governante examina cada Sentinela para garantir que ela representa a verdade.

Até o dia de hoje, o Corpo Governante segue diretrizes similares. Cada artigo, tanto da Sentinela como de Despertai!, e cada página inclusive as gravuras, são esquadrinhados por membros escolhidos do Corpo Governante, antes de irem para a impressão [...] Por isso, pode ler com confiança A Sentinela e Despertai! (A Sentinela de 1º de março de 1987, página 15).

De acordo com declarações de muitos artigos, não há espaço para qualquer dúvida de que a Torre de Vigia é guiada diretamente por Jeová. Ela até declarou que pode ser depositária de mais confiança do que Noé, que pessoalmente falou com Deus. As seguintes citações fazem o leitor sentir que a Torre de Vigia contém uma opinião infalível de Deus. Como, então, pode ser falível?

O espírito santo, operando por meio da organização de Deus, nos ajudará também a obter um entendimento maravilhosamente claro do que Jeová tem em reserva para os que o amam. Depois de explicar que pessoas de destaque neste sistema de coisas não conseguem entender os propósitos de Deus, Paulo escreveu: “É a nós que Deus as tem revelado por intermédio de seu espírito. ” (A Sentinela de 15 de agosto de 1993, página 11).
 
“...nutritivo alimento espiritual provido por Deus mediante o escravo fiel” (A Sentinela de 15 de novembro de 1992, página 19).  
Hoje, Jeová instrui por meio do "mordomo fiel". (Lucas 12:42) (Prestai Atenção a vós Mesmos e a Todo o Rebanho, página 13; ver texto original).
ASSINALADO UM SÉCULO DE ORIENTAÇÃO DIVINA. Por volta do ano de 1970, passara-se um século desde que Charles Taze Russell e alguns associados começaram a reunir-se para estudo fervoroso, e com oração, das Escrituras. Através de todas essas décadas, os servos de Jeová usufruíram o esclarecimento espiritual e a direção divina (Anuário de 1976, página 245).
O ponto é que os cristãos têm confiança implícita no seu Pai celestial; não questionam o que ele lhes diz mediante sua Palavra escrita e sua organização. As coisas se saem bem para os que confiantes assim seguem o modo de Deus fazer as coisas. Por exemplo, Jeová, por meio de sua organização, já por anos avisa seu povo sobre os efeitos prejudiciais do uso do fumo, e os que acataram este conselho foram beneficiados tanto física como espiritualmente (A Sentinela de 15 de janeiro de 1975, página 49).
"Aqueles que acreditam que Deus usa A Sentinela como um meio de se comunicar com seu povo ou de chamar a atenção para suas profecias, devem estudar A Sentinela com gratidão de coração e dar a Jeová Deus e a Cristo Jesus toda a honra e crédito e não a homem algum ". (A Sentinela de 1º de janeiro de 1942, página 5; ver texto texto original).
"A respeito de Noé, o cristão agora tem muito mais sobre o qual basear sua fé –  na medida em que as Escrituras revelam – do que teve Noé referente a um dilúvio próximo". (A Sentinela de 1º de abril de 1923, página 106; ver texto original). 
 
Nomeações para Posições de Autoridade

É dito que o Espírito Santo está diretamente envolvido em nomeações.

Os anciãos, por exemplo, são designados por espírito santo. (Atos 20:28) Mas nem todos os ungidos pelo espírito servem como superintendentes na congregação. O que devemos concluir disso? Simplesmente que o espírito de Deus opera de maneiras diferentes nos membros da congregação (A Sentinela de 15 de dezembro de 2011, página 25).
Primeiro, o espírito santo inspirou os escritores da Bíblia a registrar as qualificações que anciãos e servos ministeriais deveriam ter.[...] Segundo, tanto os que fazem essas recomendações como os que designam os irmãos oram para que o espírito de Jeová os oriente ao decidir se um irmão preenche razoavelmente os requisitos bíblicos. Terceiro, quem é recomendado precisa estar demonstrando o fruto do espírito santo de Deus em sua vida. (Gál. 5:22, 23) Assim, o espírito de Deus está envolvido em todos os aspectos do processo de designação (A Sentinela de 15 de novembro de 2014, página 28).
O Espírito Santo recebe o crédito pela nomeação de pessoas para "privilégio" dentro da congregação. Por exemplo, a nomeação de um ancião é recomendada pelo corpo de anciãos e submetida ao Superintendente de Circuito, que "considera com oração as recomendações" (A Sentinela de 15 de novembro de 2014, p.29).
Nosso Líder usa este Corpo Governante para designar homens habilitados — quer dos ungidos pelo espírito, quer não — como anciãos nas congregações locais. Neste respeito, o espírito santo, o qual Jeová autorizou Jesus a usar, desempenha um papel decisivo. (Atos 2:32, 33) Em primeiro lugar, esses superintendentes têm de preencher os requisitos especificados na Palavra de Deus, inspirada pelo espírito santo. (1 Timóteo 3:1-7; Tito 1:5-9; 2 Pedro 1:20, 21) As recomendações e as designações são feitas depois de oração e sob a orientação do espírito santo. Além disso, os designados evidenciam produzir os frutos deste espírito [...] Como é reanimador saber que Jesus Cristo provê hoje liderança aos seus discípulos por meio do Corpo Governante, do espírito santo e dos anjos!  (A Sentinela de 15 de março de 2002, página 14).
 
Sob a direção do espírito santo, as Comissões de Filial recomendam homens maduros e espiritualizados para servirem como superintendentes de circuito e de distrito. Depois de serem designados diretamente pelo Corpo Governante, eles servem como superintendentes viajantes [...]. Superintendentes viajantes apresentam relatórios para a respectiva filial ou congênere. Com a ajuda do espírito santo e das Escrituras inspiradas (A Sentinela de 15 de março de 1990, página 20).
Vivemos também no tempo do cumprimento final da profecia a que o apóstolo Pedro se referiu no dia de Pentecostes (Joel 2:28, 29, AS, Atos 2: 16-18). Portanto, devemos esperar que a atividade do espírito inclua nomeação de supervisores [...] Em consideração ao fruto do espírito produzido pelo candidato e em harmonia com os requisitos estabelecidos nas Sagradas Escrituras, que foram escritas pelos homens sob a operação do espírito santo, o Corpo Governante age, sendo ele próprio movido pelo espírito santo, pelo qual ora a Deus em prol de orientação. Em todos os aspectos, então, o espírito de Deus atua, no que diz respeito à nomeação de supervisores. Então, hoje, bem como nos dias de Paulo, pode-se dizer que o espírito santo nomeia superintendentes sobre o rebanho de Deus que comprou "com o sangue de seu próprio Filho" (A Sentinela de 15 de janeiro de 1958, páginas 45-47; ver texto original aqui e aqui).

Se o Espírito Santo estiver envolvido, qualquer ancião que esteja pecando será revelado e a designação não ocorrerá. No entanto, parte do processo antes de anunciar a nomeação de um irmão é perguntar-lhe:

Há alguma coisa no seu passado, mesmo antes de seu batismo, ou na sua vida pessoal ou familiar que desqualificaria ou impediria você de aceitar esta designação? Há alguma outra razão para você não aceitar essa designação ou para não anunciá-la à congregação? Você já se envolveu alguma vez em abuso sexual de menores? (Carta aos Corpos de Anciãos de 13 de julho de 2014, em ajuste ao livro Pastoreiem o Rebanho de Deus, página 35).

Esta pergunta anula a alegação de orientação sobrenatural. Apesar de pedir o espírito santo de Deus para ajudar com a recomendação, os anciãos precisam perguntar à pessoa para descobrir qualquer transgressão que a desqualifique.

Quando eu tinha 19 anos, meu pai, o Superintendente Presidente, disse que eu seria anunciado como um Servo Ministerial na reunião naquela noite. Ele perguntou se havia alguma razão pela qual eu não estaria qualificado como Servo. Não fazia ideia de que eles estavam me considerando. Fiquei em choque, pois havia coisas que estava fazendo, o que significava que eu não deveria assumir o cargo, mas estava com muita vergonha de dizer ao meu pai que eu não estava qualificado. Tirou a alegria da nomeação, pois senti uma incrível culpa quando fui anunciado.

Os exemplos da vida real põem face a face a teoria da direção por espírito santo com a realidade. Conheço pessoalmente inúmeros exemplos de irmãos nomeados como anciãos e servos ministeriais, ao mesmo tempo em que cometem fornicação, adultério e homossexualidade – alguns por mais de 20 anos, e isso prova que o Espírito Santo não está envolvido em nomeação, desassociação e readmissão.


Alguns casos de destaque foram entre o próprio Corpo Governante, os irmãos escolhidos por Jeová.

"Isso apareceu nos números de 1 e 15 de junho [da revista A Sentinela de 1938] e provou de forma conclusiva que a organização de Jeová deve, doravante, ser guiada e dirigida pelo espírito de Jeová através do Corpo Governante visível, composto pelos servos que o próprio Jeová designaria" (A Sentinela de 1º de junho de 1965, página 352; ver texto original).

Durante a década de 1980, três membros do Corpo Governante deixaram o cargo. Raymond Franz renunciou em 1980, depois de concluir que a Torre de Vigia não representava o verdadeiro cristianismo. Ewart C. Chitty renunciou em 1980. O Anuário de 1980 página 258, declarou simplesmente: " No ano passado, Ewart C. Chitty deixou o cargo, de modo que atualmente há 17 membros neste corpo ". Isso não se deveu à apostasia, mas a uma conduta homossexual antes da sua nomeação ao Corpo Governante.

Em 1984, Leo Greenlees renunciou. Embora não tenha havido nenhuma declaração escrita, o seguinte aviso de café da manhã ocorreu no Betel de Brooklyn.

"Isto é para informar à família de betel que Leo Greenless já não é um membro da família de betel e o assunto está encerrado". 3

Isso também foi em razão de sua conduta homossexual antes da nomeação, e resultado de acusações contra Greenlees por Mark Palo. Uma indicação vaga de que se tratava disso apareceu na Sentinela:

É chocante, mas o fato é que mesmo alguns que eram proeminentes na organização de Jeová sucumbiram a práticas imorais, incluindo o homossexualismo, a troca de casais e o abuso de crianças (A Sentinela de 1º de janeiro de 1986, página 13).

Parece improvável que "o próprio Jeová" nomeie pessoas para o cargo mais importante em sua organização terrena quando estas estão envolvidas em uma conduta dessa antes da sua nomeação.


Desassociação

Acredita-se que os pecadores sejam desassociados sob a orientação do espírito santo. Uma comissão judicativa, geralmente composta por três anciãos, determinará o assunto após uma oração pela orientação do espírito de Deus.

A audiência judicativa deve ser iniciada com oração na presença do acusado. Sempre que necessário, a comissão judicativa pode pedir sabedoria a Jeová por meio de oração durante suas deliberações em particular (Pastoreiem o Rebanho de Deus, página 89; ver texto original).

Alega-se que a desassociação pode ser em resultado de direção angélica.

Além disso, os anjos de Jeová podem manobrar as coisas de forma que qualquer um que faça outros tropeçar seja retirado do seu povo (A Sentinela de 1º de março de 2007, página 24).

Se o Espírito Santo está envolvido, as pessoas sempre acertarão contas com a justiça. Os pecadores serão expostos, assim como Josué descobriu o roubo de Acã sob a direção de Jeová.

Apesar de reivindicações de orientação, o livro dos anciãos fornece um procedimento para quando os anciãos estão em desacordo sobre se alguém tem culpa, a saber, a decisão pelos votos da maioria.

Os anciãos que servem em uma comissão judicativa devem se esforçar para que sua decisão seja unânime. Em geral, diferenças de opinião podem ser resolvidas por se considerar os assuntos cabalmente como comissão judicativa, pesquisar as Escrituras e as publicações cristãs, orar por sabedoria e orientação e até mesmo consultar um ancião experiente de outra congregação. No entanto, se a comissão não conseguir chegar a uma decisão unânime, a minoria deve apoiar a decisão da maioria (Pastoreiem o Rebanho de Deus, página 96; ver texto original).

Esta é uma admissão de que os anciãos não são guiados, mas simplesmente apresentam suas opiniões pessoais.

O procedimento para desassociação de uma pessoa também inclui um processo de recurso. Estes dois são uma indicação de que a Torre de Vigia sabe que as decisões não são direcionadas, nem podem ser confiáveis. Se fosse, então a decisão da primeira comissão seria correta.

O exemplo inverso é a readmissão de infractores que persistem em seus pecados. Pessoas desassociadas, que veem a Sociedade Torre de Vigia como um culto, combinaram seu retorno através de salas de bate-papo na Internet e foram readmitidas, apenas para que pudessem continuar a se associar livremente com os membros da família ou como uma tentativa de ajudá-los a deixar a Sociedade Torre de Vigia.2


Maioria de dois terços

As decisões do primeiro século são consideradas unânimes.

No primeiro século, as decisões dos anciãos e
apóstolos eram por unanimidade.
Numa reunião que foi realizada, alguns parecem ter argumentado a favor da circuncisão, ao passo que outros expressaram o conceito contrário [...] Depois de ouvir todos os testemunhos pertinentes, o corpo governante concordou por unanimidade que não era preciso que os cristãos gentios fossem circuncidados e se sujeitassem à Lei mosaica (A Sentinela de 15 de março de 2003, página 22).

O Corpo Governante hoje só precisa de uma maioria de 2/3 para aprovar uma uma nova doutrina.

Numa reunião três semanas depois, 30 de abril, o presidente Knorr nos surpreendeu com a apresentação de uma moção de que, daí diante, todos os assuntos fossem decididos pelo voto de dois terços dos membros ativos (Crise de Consciência, de Raymond Franz, páginas 90, 91).
Um fator importante nas decisões do Corpo Governante era a regra da maioria de dois terços. Isto às vezes produzia alguns resultados curiosos. A regra era que se precisava de uma maioria de dois terços (dos membros ativos) para fazer-se aprovar uma moção. Eu pessoalmente apreciava a oportunidade concedida por isto para que um membro se “abstivesse” sem sentir que estava exercendo o “poder de veto”. Nos casos menos importantes, eu geralmente votava com a maioria. Mas quando surgiam questões que afetavam profundamente minha consciência, encontrava-me frequentemente entre a minoria, raramente sozinho, mas muitas vezes com apenas um, dois ou três de outros membros que alegavam objeção de consciência por não votar a favor da moção (Crise de Consciência, de Raymond Franz, páginas 123, 124).
Considere o que podia acontecer por causa da regra da maioria de dois terços: Se, dos quatorze membros presentes, nove favorecessem a retirada do rótulo de “transgressão passível de desassociação” e só cinco favorecessem sua manutenção, a maioria não era suficiente para mudar o rótulo indicativo de desassociação. Apesar da clara maioria, os nove não formavam uma maioria de dois terços. (Mesmo se houvesse dez deles a favor desta mudança, ainda não eram suficientes, pois, apesar de serem dois terços da maioria dos quatorze presentes, a regra era dois terços do total dos membros ativos, que durante a maior parte do tempo era dezessete ou dezoito.) (Crise de Consciência, de Raymond Franz, página 124).

Corpo Governante das Testemunhas de Jeová


Veja também o livro Em Busca da Liberdade Cristã, de Raymond Franz, páginas 315, 316.

Se alguns membros do Corpo votarem para uma mudança, e alguns contra, quais são os que não são dirigidos por Deus? Isso ajuda a explicar por que a doutrina pode mudar ao longo do tempo, à medida que a composição do Corpo Governante muda. As mudanças doutrinais não são a nova luz de Jeová, mas sim o resultado de novos membros do Corpo Governante que têm opiniões diferentes das daqueles que substituíram.


Conclusão

A Sentinela afirma que somente as Testemunhas de Jeová recebem espírito santo.


Assim como nos dias de Jesus e dos apóstolos receber o espírito santo dependia do contato com o canal de comunicação de Deus, isto é, seus representantes terrenos, assim também é hoje. Os fatos mostram que esse canal está com a sociedade do Novo Mundo das Testemunhas de Jeová (A Sentinela de 1º de abril de 1962, página 215; ver texto original).

O Corpo Governante faz afirmações fortes de que o espírito santo o guia para interpretar corretamente a Bíblia e para designar homens.

 [Um cristão maduro] tem plena confiança na verdade conforme revelada por Jeová Deus por meio do seu Filho, Jesus Cristo, e do “escravo fiel e discreto (A Sentinela de 1º de agosto de 2001. Página 14).

Reivindicar que Jeová revela a verdade através do Escravo é uma proclamação direta de inspiração.

Em total contradição, o Corpo Governante diz que o Espírito Santo não orienta a Organização a ter uma interpretação infalível das Escrituras. A precisão não é mais necessária para Deus, embora fosse nos tempos bíblicos. Se a verdade pode mudar continuamente, qual a importância de seguir esses líderes e não os líderes de outra Organização similarmente não orientada? É ilógico exigir total obediência, pois afirmam que suas diretrizes devem ser seguidas como "a voz de Deus" ao mesmo tempo em que admitem erros.

As publicações da Torre de Vigia afirmam claramente que Jeová a dirigiu:

  • Pessoas imperfeitas, de modo infalível, escreveram a Bíblia.
  • Os apóstolos do primeiro século elaboraram diretrizes infalíveis ao dirigir as primeiras congregações cristãs
  • O Corpo Governante prepara A Sentinela em nossos dias, mas desta vez a Organização de Deus está sendo guiada com instruções imprecisas.


Jeová sempre foi capaz de fornecer informações infalíveis, mesmo que os humanos fossem falíveis. Quando o Espírito Santo dirigiu os seguidores de Jeová, as declarações gravadas sempre foram precisas. Não há espaço para ensinamentos errôneos se uma Organização fizer a reivindicação que Jeová a direciona e que ela é o único caminho verdadeiro de Deus para a verdade e salvação. O Espírito Santo não dirige uma Organização que declara ser falível.


Os erros tornam aparente que o Espírito Santo não orienta a doutrina da Torre de Vigia mais do que qualquer outra religião. Nem o Espírito Santo guiou as nomeações. Tenha isso em mente ao aprofundar-se na busca pela verdade sobre a Torre de Vigia. 


(Esta postagem foi traduzida com a ajuda do Google Tradutor)


Gostaria de conhecer melhor as Testemunhas de Jeová?
Então você precisa ler meu livro
Testemunhas de Jeová – o que elas não lhe contam?
Opções de download aqui

--------------------------

Notas

1 -  The Varieties of Religious Experience: A study in Human Nature (New York: Modern Library; reprint edition, 1994) first published in 1902

2 -  Por exemplo, Going Undercover to Rescue My Daughter (J Sage Nancy, 2006)

3 - Veja Apocalypse delayed: the story of Jehovah's Witnesses (University of Toronto Press. Second Edition Reprinted 1999) M James Penton p.393.



3 comentários:

  1. Olá Lourisvaldo! Se qualquer Testemunha de Jeová tivesse permissão para ler artigos como este, certamente conseguiria enxergar o óbvio: Que torre de Vigia nunca foi a organização de Deus,nem o único caminho para salvação...ao contrário, a ela se aplica o texto que ela atribui a todas as religiões:"Sai dela povo, se não quiseres compartilhar com ela, as suas pragas, pois seus pecados acumularam-se até os céus" Apocalipse 18:4. Obrigada por mais excelente matéria! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá, pelomenos elas deveriam analisar, no mínimo analisar suas crenças. É difícil entender como deixamos pessoas como nós nos manipularam. Que Jesus volte logo

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Lourivaldo.
    Que bom que tens a coragem de tentar abrir aos olhos de muitos que essa religião os cegaram. Felizes dias. Abraços.

    ResponderExcluir