terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Testemunhas de Jeová – o que revela o crescimento delas? (um exame por continente)

Mas, quando o espírito santo vier sobre vocês, receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até a parte mais distante da terra. (Atos 1:8; TNM). 


Todo ano, e desde o começo do século passado, a liderança das Testemunhas de Jeová, com sede nos Estados Unidos, criou o hábito de divulgar anualmente os números alcançados no serviço missionário. O objetivo desde o começo foi mostrar que Deus a estava abençoando, por isso os números deveriam indicar exatamente isso. Passado mais de 100 anos, o que de fato esses números indicam?


Com o objetivo de fazer esse exame, fiz um estudo dos números por continentes que pode ser baixado em PDF clicando aqui

Edição de 19-10-2016 (Veja aqui uma explicação do crescimento anormal das Testemunhas de Jeová nos Estados Unidos). 

O texto de Atos 1:8, que cito logo acima, é que parece ter norteado Charles T. Russell, o fundador do movimento.  Desde meados da segunda metade do século XIX, ele, juntamente com um número bem pequeno de seguidores, empreendeu campanhas missionárias, começando por visitar o vizinho Canadá, países do Caribe, e indo mais além, até a Europa, onde fez diversas viagens até perto de sua morte em 1916.

Desde então, os seus sucessores tiveram por alvo seguir seus passos. A obra missionária ganhou força e o movimento religioso cresceu de forma impressionante, tanto nas Américas, bem como Europa e África. O continente asiático também não ficou de fora, mas, surpreendentemente, por lá não houve o sucesso esperado. Mesmo atualmente, muitos países desse continente sequer aceitaram conceder ao grupo o status de religião, obrigando-o a viver às margens da lei, sendo que, com certa frequência, algumas Testemunhas de Jeová nesses países têm sido chamadas a explicar por que andam a evangelizar sem que para isso tenham tido permissão. 

Como é possível verificar no arquivo PDF, os números têm indicado que o crescimento na obra não vai além do que foram os missionários das diversas religiões cristãs, os quais, por sua vez, conseguiram ir apenas até onde foi a espada do colonizador.

Em razão disso, pode-se perguntar o que está faltando para que a religião vá “até a parte mais distante da terra”, ao continente asiático, como requer o cumprimento dessas e de outras profecias (veja Mateus 24:14). É demasiadamente constrangedor concluir que, com base no parágrafo anterior, parece faltar a justamente a espada do colonizador.

Mas nada disso é admitido pela liderança religiosa, a qual proclama ter sido escolhida por Deus para representá-Lo na terra e que, somente mediante a aceitação dela como representante de Deus, é que alguém, seja quem for, está habilitado a obter a salvação.

Obviamente que isso não é dito de forma explícita. Usa-se sempre uma linguagem peculiar ao grupo, de modo que quase que apenas integrantes do grupo conseguem entender exatamente o que se estar querendo dizer. Um exemplo disso pode ser visto da declaração abaixo. Os colchetes foram acrescentados para facilitar o entendimento por leitores leigos no assinto.

Evite o espírito de independência.
Para aceitar a autoridade de Jeová, temos de evitar o espírito de independência. A arrogância pode nos fazer achar que não precisamos da orientação de ninguém. Por exemplo, talvez resistamos aos conselhos dos que tomam a dianteira entre o povo de Deus [a liderança religiosa nos Estados Unidos]. Segundo a provisão de Deus, o escravo fiel e discreto [como essa liderança tem-se intitulado] fornece o alimento espiritual [interpretações do que diz a Bíblia] no tempo apropriado. (Mat. 24:45-47) Devemos reconhecer humildemente que esse é o meio de Jeová cuidar de seu povo hoje. Portanto, seja como os fiéis apóstolos. Quando alguns discípulos tropeçaram, Jesus perguntou aos apóstolos: “Será que vós também quereis ir?” Pedro respondeu: “Senhor, para quem havemos de ir? Tu tens declarações de vida eterna.” — João 6:66-68.
Aceitar a autoridade de Jeová envolve acatar os conselhos [elaborados pela liderança religiosa] baseados na sua Palavra. Por exemplo, o escravo fiel e discreto tem nos admoestado a ‘ficar despertos e manter os nossos sentidos’. (1 Tes. 5:6). (A Sentinela de 15 de junho de 2008, página 21).

As palavras de Jesus citadas pelo apóstolo João são claramente torcidas de modo a dizer que nenhuma Testemunha de Jeová conseguirá encontrar o caminho da salvação em nenhum outro lugar, tendo, portanto, que mostrar-se humilde e aceitar ter toda a sua vida regulamentada por essa liderança religiosa.

Se é assim para as Testemunhas de Jeová, então significa dizer que todas as demais pessoas, religiosas ou não, caso não aceitem entrar no grupo, serão condenadas.

Convicta de que é assim, as Testemunhas de Jeová são induzidas a crer que, a menos que façam o máximo no serviço de casa em casa, serão elas mesmas condenadas. A liderança mais uma vez recorre à Bíblia para convencê-las de que é exatamente assim. O texto a seguir com muita frequência é lembrado às Testemunhas:

Filho do homem, eu o designei como vigia para a casa de Israel. Quando você ouvir uma palavra da minha boca, deve transmitir-lhes o meu aviso. Se eu disser àquele que é mau: ‘Você certamente morrerá’, mas você não o avisar — se não falar com aquele que é mau a fim de avisá-lo para que ele abandone seu mau proceder e continue vivo —, ele morrerá por causa do erro dele, por ser alguém mau, mas o sangue dele exigirei de você. No entanto, se você avisar aquele que é mau, e ele não recuar da sua maldade e do seu mau proceder, ele morrerá por causa do erro dele, mas você certamente salvará a sua própria vida.(Ezequiel 3:17-19; TNM).

Portanto, caro leitor, quando uma Testemunha de Jeová bater à sua porta, saiba que ela pode estar aí não necessariamente porque quer convencê-lo a mudar de religião para salvar a vida, mas porque quer ela própria salvar a dela.

É verdade que a Bíblia exorta a que se tenha como compromisso pessoal procurar livrar o irmão ou irmã do caminho errado, mas a questão é: quem está qualificado para julgar que fulano ou ciclano está no caminho errado? Simplesmente por ele não ser da minha religião significa que ele está no caminho errado?  Por incrível que pareça, essa é a realidade para as Testemunhas de Jeová. Unicamente por você não pertencer à religião dela já é suficiente para que você seja visto como alguém que está no caminho errado. 

Tudo bem, digamos que a religião das Testemunhas de Jeová seja o único caminho que leva a Deus. O que revelam os números disponibilizados pela própria religião? Conseguimos ver neles alguma evidência de que Deus a está abençoando? É apenas lógico concluir que, se há uma determinada (e pequena) porcentagem de pessoas a serem salvas, essa porcentagem deveria ser mais ou menos a mesma para todos os países de todos os continentes. Mas não é isso que os números revelam. Considerando que a argumentação é o fator chave para alguém decidir entrar na religião, e considerando que as Testemunhas de Jeová já estão presentes de forma significativa em países desenvolvidos, que se pode concluir do fato de que a religião não tem conseguido nesses países os mesmos números que tem conseguido em países em desenvolvimento e subdesenvolvidos?  A resposta óbvia é que os argumentos usados não tem sido capazes de convencer pessoas esclarecidas e que, portanto, isso tira a credibilidade de que os esplendorosos números alcançados em outras terras representam de fato cristãos aprovados para a salvação.

Dito isso, desejo que o leitor considere essas informações e informe-se o quanto puder a respeito de qualquer religião que se lhe apresente como sendo o único caminho que leva a Deus. A sua vida é muito valiosa para se gastar em caminhos erráticos, sendo que, em se tratando de caminho para a salvação, é sempre bom lembrar das nobres palavras de Cristo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.  Ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6; TNM).
  

36 comentários:

  1. Nós que conhecemos a palavra de Deus,sabemos que nós somos a igreja de Cristo,mas temos que buscar um templo para estarmos reunidos para louvar o seu nome....A paz de Deus!

    ResponderExcluir
  2. Olá Lourisvaldo!

    Não creio no crescimento das Testemunhas de Jeová como atestavam.
    Há mais de uma década, tempo em que eu era um tj, dava para contar nos dedos o número de estudantes realmente interessados.
    Em comparação com o número de batizados ocorridos em determinadas religiões evangélicas, é certo que as Tj's não passam de um grão de areia no deserto.
    Aliás, que povo que adora números, não é?

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lourisvaldo!

    Como vai? Aqui, tudo satisfatório.

    Uma pergunta a k só responderá, se pretender: qdo criou esse blog foi para refletir sobre a "doutrina" e comportamento das TJ e eventualmente pôr a nu, esclarecer ou foi pelo facto de ter sido expulso dessa associação?

    Os números têm-se mantido em quase todos os países, concluo, embora possa haver dados manipulados.

    Efetivamente, esta associação tem seus chefes, seus "líderes" a quem os mais "puros"/"ingénuos" obedecem e muitos são aqueles que só veem em "frente", ou seja, é aquilo e nada mais. Lamento, pke qualquer religião é feita por homens e mulheres, portanto, imperfeita.

    O grande objetivo desta associação é a salvação de cada um e ficar habitando a nova terra, o novo sistema. Evidente k é necessário pregar e espalhar a "doutrina", embora essa não seja a principal finalidade, até pke as TJ têm de mostrar "serviço".
    Como elas ficam nervosas qdo têm de fazer no "Salão do Reino" uma designação!

    Ninguém chegará a Deus, caso não vá por Jesus Cristo. Será mesmo assim? DEUS É SENHOR DE TUDO E DE TODOS, e qualquer pai prefere que ame mais seu(s) filhos do que a ele. Isso eu entendo, mas há "coisas" k os filhos não devem saber, pke são questões do pai, e estou falando dos pais terrenos.
    Por que saberá apenas Deus/Jeová dia e hora do fim do mundo?
    Então, Jesus não consegue guardar "segredo"? De Maria, nem falo, pke Ela é mulher.

    Dias bem felizes e conscientes.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, CÉU! Cá estou de volta ao blogger, depois de umas 30 horas ausentes devido à queda de sinal de internet em minha região.

      Sobre sua pergunta: qual razão me levou a criar este blog? Por eu ter sido excomungado ou com a finalidade de examinar a doutrina TJ? CÉU, olha só: fui excomungado em 2011 por razões que futuramente serão tornadas públicas. Desde então - e até 2012 -, por cerca de 15 meses, mantive-me em expectativa de ser readmitido ao grupo e, com esse objetivo, fiz muito dos sacrifícios requeridos pela autoridade religiosa, quando então, por meio de uma carta, fiz o pedido que meu caso fosse reavaliado. Os avaliadores, os mesmos que me excomungaram 15 meses antes, decidiram que eu não estava qualificado para ser aceito de volta ao grupo. Isso foi para mim bastante desolador e acabou por eu decidir dar-me um tempo, eu precisava pensar, reavaliar tudo, precisava buscar sentido nas coisas. Foi então que comecei a investigar mais a religião, agora sem me sujeitar às normas dela sobre nunca ler livros de dissidentes. Feito isso, qual não foi a surpresa ao saber o porquê da proibição! Existe uma infinidade de assuntos "negros" envolvendo a religião, coisa que, caso fossem acessados por Testemunhas, com certeza causaria uma revolta muito grande entre os fiéis, muitos se descobririam enganados, tendo gastado toda a vida em uma causa inútil.

      Tendo eu descobertos essas coisas, senti-me impelido a fazer algo para tornar essas descobertas mais e mais conhecidas, com interesse especial para a minha comunidade de 10 mil habitantes.

      Eu entendo que, por eu ter sido expulso, pode parecer que se trata de uma vingança, mas, creia-me, se não fosse as descobertas que fiz, muito provavelmente este blog não existiria, ou caso existisse, talvez estivesse a tratar de outros assuntos, talvez política (uma das minhas paixões).
      Respondido, garota? (rs).

      Excluir
    2. Olá, Lourisvaldo!

      Percebi, na perfeição, a sua completa explanação, que agradeço, mas para lhe falar com franqueza, sinto ainda em você alguma mágoa por ter sido expulso, e tanto assim que ainda tentou ser readmitido, escrevendo carta.

      SÓ DEUS CONHECE OS CORAÇÕES E OS HÁ EM TODAS AS RELIGIÕES.

      Bom fim de semana.

      Abraços.

      Excluir
    3. Pode ser que seja o caso, CÉU; nessa questão, o meu eu diz que não, mas no findo, no fundo, isso pode ser apenas uma tentativa inconsciente de convencer a mim mesmo, isto é, de que não sou uma pessoa rancorosa. Mas em complemento da minha resposta anterior, cito as palavras de uma Testemunha de Jeová que, apesar de já conhecer os "segredos" da religião, lá ainda se mantém por razões familiares. Suas palavras revelam em profundidade quão grande é a dor de ver pessoas enganadas, o que, como é o caso dele, acaba por nos mover a fazer algo para aliviar, ou quem sabe até evitar, a dor de muitas outras pessoas.

      "Gostaria de ajudar a salvar em quanto é tempo muita gente. Jovens que podem destruir suas vidas e não ter nenhuma expectativa profissional. Quero mudar o destino de pessoas que aprendi a amar, admito que não vou conseguir, mas tentarei isso todos os dias até o quanto eu puder resistir".

      A íntegra do comentário dele pode ser lida no fórum extestemunhadejeova.net no seguinte endereço:

      http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=11&t=18017&p=350475


      Excluir
    4. Ao acessarem o link do comentário anterior, procurem pelo forista "Ancião Brasileiro".

      Excluir
    5. Olá, Lourisvaldo!

      Espero k se encontre bem, de corpo e alma. Aqui, tudo normal, excetuando o tempo. Faz frio e está chovendo, embora brandamente. Aí, bem, nem vou falar, pke está calor, sol e mta luz (eu vou "virar" a terra, portanto você vem para o HN e eu vou para o HS - tão egoísta, essa menina, pensa Lourisvaldo).

      Talvez seja, vamos ficar pelo advérbio de dúvida, pke há situações que não devemos dizer SEMPRE OU NUNCA. Compreendo mto bem o que me disse, pke no fundo você procura Jesus, Emanuel, ou Deus, Jeová ou ambos, que é bem melhor, sinto isso.

      Meu querido amigo, ainda não consultei o endereço k me indicou, por preguiça (veja só como eu sou!), mas não sou má pessoa, não. Logo que consulte, direi o que penso a você.

      Li, com atenção, o extrato que retirou e sei, até pke conheço mtas TJ e seu comportamento, e creio que mtas estão convencidas k "aquilo" é mesmo assim, ou seja, eles são os únicos detentores da verdade e se salvam. Sei tb que outros/as continuam a ladainha dos pais, pke já nasceram ouvindo falar sempre do mesmo e outros fazem o que não é permitido, mas às escondidas.
      Já perguntei a um, que me abordou na rua, de terno (fato e gravata, cá) ao domingo, claro, se ele era comunista, pke parecia que te tinha um CD no cérebro. Citava S. Mateus, S. João, para falar do Apocalipse, e o homem não se calava. Tinha na bíblia dele as passagens sublinhadas com marcador amarelo, enfim, um "espetáculo"!

      Nota: não quero ser anciã, de nada (risos). Quero continuar, assim, "inconsequente", "inconsciente" e sem sabedoria "nenhuma".

      Abraço, minino, que nem um abracinho me enviou. Nossa Senhora!

      Excluir
  4. Sobre números manipulados, CÉU, não nego que os haja. No entanto, isso talvez ocorra mais localmente, com alguns pastores inflando os relatórios recebidos dos fiéis (talvez com o fim de "ficar bem na foto" como o supervisor regional). Mesmo assim, não creio que afete demasiadamente os resultados. Fazer o quê, né, moça...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a sua perspetiva. Localmente, é fácil acontecer, até porque mostrar "serviço" é importante para os Boss(es).
      Denunciar, qdo temos a certeza de manipulação.

      Abraço.

      Excluir
  5. Abençoado final de semana!!!!!!!!! Abraços

    ResponderExcluir
  6. Ah, estava me esquecendo: ABENÇOADO DOMINGO, E JÁ AGORA SEMANA.

    Tudo de bom, garoto!

    ResponderExcluir
  7. Lourisvaldo, boa noite, quero agradecer o carinho da visita!
    Sobre o seu texto, li, não entendo nada do porquê de tanta importância de número de seguidores em religião.
    Leio sobre tudo, não tenho preconceitos, não sou religiosa, nunca fui criada seguindo uma e sou imensamente feliz, acho que se sou feliz aqui na Terra, provavelmente irei continuar "lá" do outro lado!
    Creio em Deus, mas acredito que Ele sim é que crê muito mais em mim!
    Abraços apertados amigo, espero que seja feliz quando encontrar o que buscas fora de si, pois percebo que não é dentro de si que estás procurando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre os números, Ivone, em décadas passadas, quando eles indicavam crescimento esplendoroso no número de membros, isso era gritado aos quatro ventos como se fosse a bênção de Deus. Agora, que os números denunciam o contrário, que não parece haver bênção alguma, há já fiéis prevendo que logo,logo, a religião irá deixar de divulgá-los. Isso parece desonesto para os de fora, mas não para pessoas de dentro que conhecem bem as artimanhas do grupo para se "apresentar bem" para o ´público.

      Sobre a busca pela felicidade, estou aprendendo a encontrá-la em pequenas coisas, como, por exemplo, em suas palavras tão gentis.

      Um grande abraço!

      Excluir
    2. Que bom, abraços apertados meu amigo "filho de Deus perfeito e maravilhoso", assim diz a seita Seicho-no ie, pois é, ler sobre tudo nos dá a possibilidade de escolher e nos libertar!Obrigada sempre pelo carinho lá em um dos meus blogues, o de poemas, pois tenho um de prosa, o Levitar em brancas nuvens.

      Excluir
  8. Oi... (rs)
    Li todo o artigo.
    Tenho convicção de que a estrada para Deus não é de mão única. Todas as religiões, crenças, doutrinas, etc que levam à prática do amor e da caridade também levam a Deus. Não acho oportuno querer impor uma crença a ninguém. A liberdade de credo está delineada até pela Constituição Federal. Muitos, por fraqueza espiritual, se deixam levar por crenças equivocadas, que lhes fazem uma verdadeira lavagem cerebral. Nossa fé precisa ser raciocinada, pois a fé cega alimenta o fanatismo e a intolerância religiosa.

    Ótima semana!

    Grata pela visita.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é isso, querida Lúcia!Suas palavras descrevem exatamente o que foi minha vida como Testemunha de Jeová. De fato, estive convicto de que detinha o único caminho que leva a Deus, e muito lutei para converter outros, de fato, embora eu procurasse me conter, era tudo meio que beirando ao fanatismo, uma fé cega no verdadeiro sentido da palavra. Somente agora, com alguns poucos anos de pesquisa, é que estou percebendo o grau de cegueira a que eu estava envolvido.

      Mas acho que encontrei o caminho da liberdade; ele não ´´e um caminho único, mas é um modo de vida responsável, sem amarras religiosas, mas nem por isso amor ao próximo; muito pelo contrário: importar-se com a liberdade e felicidade dos doutros tem sido uma de minhas maiores sensações de liberdade.

      Abraços!

      Excluir
  9. Olá, Lourisvaldo!
    Como vai? Agradeço sua visita e simpática conversa.
    A estação das chuvas, aí, é terrível, então. Tal como você, eu tb preferiria a quente, aliás, eu adoro climas tórridos.
    Para lhe falar com franqueza, nunca pensei ir ao Brasil, nunca senti apelo e atração. Acho k é um país mto grande e diversificado e eu tenho de saber que "terra piso". Não gosto de mar, nem praia, sou toda terrestre, virginiana de signo e está tudo explicado.

    Dias felizes. Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  10. Eu conheci uma garota desta religião na academia de ginástica e ela me perguntou se podia fazer-me uma visita com as companheiras dela de religião. Eu disse que ela seria muito bem-vinda na minha casa, como amiga. Para uma visita cordial, mas NUNCA para me convencer de que a religião dela é melhor que as outras...Aí ele disse que não era assim, etc, etc....E eu ainda completei: Sou católica e gosto muito da minha religião. Por favor me respeite!
    Acho o cúmulo baterem na sua porta para te doutrinarem sem que você queira!!!!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marineide! Você falou corretamente sobre qual o conceito que as Testemunhas de Jeová tem sobre essa religião. Quanto à resposta da garota da academia, essa foi uma reação a que são treinados a demonstrar quando confrontados com afirmações como a sua. Veja a seguir a liderança religiosa ensinando como responder a uma pergunta comum que se fazem a respeito dessa religião:

      -----------------
      Crêem as Testemunhas que a sua religião é a única certa?

      Quem leva a sua religião a sério deve achar que ela é a certa. Senão, por que estaria nela? Os cristãos são admoestados: “Certificai-vos de todas as coisas; apegai-vos ao que é excelente.” (1 Tessalonicenses 5:21) Cabe-lhe certificar-se de que as suas crenças têm o apoio das Escrituras, pois existe uma só fé verdadeira. Efésios 4:5 confirma isso, mencionando “um só Senhor, uma só fé, um só batismo”. Jesus não concordou com o conceito moderno, comodista, de que há muitos caminhos, muitas religiões, que todos levam à salvação. Pelo contrário, ele disse: “Estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham.” As Testemunhas de Jeová crêem que o encontraram. Se não fosse assim, procurariam outra religião. — Mateus 7:14.
      -----------------------

      Notou quanta diplomacia? A resposta certa é bem mais curta: SIM, NÓS ESTAMOS CONVICTO DE QUE A NOSSA RELIGIÃO É A ÚNICA CERTA.

      Veja outro caso de resposta ensaiada:

      -------------------------------
      Acreditam que são os únicos a serem salvos?

      Não. Milhões dos que viveram nos séculos passados, que não eram Testemunhas de Jeová, voltarão na ressurreição e terão a oportunidade de viver. Muitos dos que agora vivem ainda poderão tomar posição a favor da verdade e da justiça, antes da “grande tribulação”, e estes obterão a salvação. Outrossim, Jesus disse que não devemos julgar uns aos outros. Nós vemos a aparência; Deus examina o coração. Ele vê com precisão e julga com misericórdia. Confiou o julgamento a Jesus, não a nós. — Mateus 7:1-5; 24:21; 25:31.
      -----------------------------------
      Novamente, a resposta certa é bem mais curta: SIM, ACREDITAMOS QUE OS ÚNICOS A SEREM SALVOS SÃO PESSOAS FILIADAS À NOSSA RELIGIÃO.

      Note na resposta acima que a liderança religiosa especifica que pessoas NÃO Testemunhas que morreram em SÉCULOS passados serão ressuscitadas. Por que dizem isso? Por que acreditam que pessoas que morrem atualmente sem se tornarem TJs provavelmente ficarão mortas para sempre, uma vez que tiveram a oportunidade de se tornarem TJs, mas recusaram.

      Quando diz mais adiante que pessoas que vivem agora ainda podem tomar posição ao lado da verdade e obter a salvação, a autoridade religiosa quer dizer, ainda que de forma disfarçada, que essas pessoas ainda podem se tornar TJs e assim, e somente assim, obterem a salvação.

      Para quem estuda a Bíblia e conhece as qualidades e atitudes de Cristo, chega a ser asqueroso saber que há pessoas se dizendo cristãs, mas que usam de uma linguagem assim tão hipócrita para enlaçar outros.

      Fonte para a integra das citações:
      http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102000107

      Excluir
  11. Sou evangélica e sei que só serão salvos aqueles que aceitar Jesus como o único salvador, só Jesus é o único caminho, não existem outro caminho, a não ser Jesus Cristo, os testemunhas de jeová só querem pregar que só eles herdarão tudo. Quando eles chegam aqui na minha porta eu educadamente falo que já conheço a palavra, e a verdade e eles vão embora. Lourisvaldo obrigada pela sua visita seguindo seu blog,abraços.

    ResponderExcluir
  12. Olá Lourisvaldo, boa tarde!
    Estou passando p/agradecer a visitinha no meu blog e desejar uma tarde abençoada p/vcs!
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Lourisvaldo, agradeço sua visita, li sua postagem, desejo verdadeiramente que encontre o verdadeiro caminho e a Paz de Jesus. Não perca a próxima palestra também sobre a Cruz, vai ver que decerto fica a entender melhor. Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Lourisvaldo
    Obrigada pela visita e por seguir o blog,também estou te seguindo.
    Exercitar nossa fé é algo que agrada a Deus.
    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Um tema que importa sempre abordar e sobre ele refletir!
    ... obrigada pela visita

    ResponderExcluir
  16. Boa noite Lourisvaldo,
    Eu não tenho nenhuma religião, mas tenho um coração que ofereci a Deus, nosso pai. Ele me testa muito, mas não perco a minha fé e nem me desespero.
    Obrigada pelo menina(68).
    Abraços
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  17. Obrigada pela visita, que ora retribuo. Todas as religiões, bem vividas, levam a Deus. Não existe caminho único para isso e a liberdade de crença permite um convívio feliz entre os seres humanos, independente do que professam.

    ResponderExcluir
  18. Um belo tema para reflectir.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  19. Olá Lourisvaldo
    Obrigada pela visita ao meu blog, gostei muito, o seu blog é bastante acolhedor. Sobre a postagem fico com o versículo que você finalizou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6; TNM). Jesus é o caminho, só através dele recebemos a salvação. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  20. Olá, querido amigo Lourisvaldo!

    Espero k você esteja bem. Aqui, frio e chuva. Virgem Santíssima! A continuar assim, terei de emigrar para o Brasil ou para África (risos).

    Agradeço sua visita, excelente e sincero comentário. Deus é tudo aquilo k escrevi e mais aquilo que eu não sei falar.
    Não sei como consegui escrever sobre Deus, pke sempre achei que era uma temática que eu não conseguiria abranger. Sou católica, como você sabe, mas não sou propriamente mto praticante e reconheço todos os erros da Igreja a que pertenço e onde fui batizada. Eu tento ver em todas as direções, embora nem sempre o consiga.

    Classificou as minhas palavras, lá no poema, de nobres. As que deixou como comentário, eu classifico de ♥.

    MUITO OBRIGADA, ESTIMADO AMIGO!

    Beijo com muita amizade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, mocinha de Lisboa! "Caramba!", parece que o clima te está incomodando "paca". Sobre viver em terras brasileiras, você escreveu o seguinte no comentário anterior:

      "Para lhe falar com franqueza, nunca pensei ir ao Brasil, nunca senti apelo e atração. Acho k é um país mto grande e
      diversificado e eu tenho de saber que "terra piso"".

      De fato, devido à grande extensão territorial, o Brasil tem uma cultura muito diversificada. Você muito provavelmente já leu ou escutou sobre a cultura nordestina, gaúcha ou mineira. Essas, a meu ver, são as mais em suas receptivas regiões (Nordeste, Sul e Sudeste). É lógico que você, em vindo ao Brasil, poderia facilmente integrar-se à comunidade portuguesa (concentradas nas cidades de Rio de janeiro e São Paulo), mas em que isso adiantaria? Ir ao estrangeiro e procurar seus conterrâneos? Não faz sentido, né, moça?

      Ontem pesquisei sobre o clima aí e verifiquei que a temperatura está entre 10 e 20 graus. Realmente é de "lascar"! Mas que é que se vai fazer...

      Grande abraço, amiga!

      Excluir
  21. Sempre uma boa leitura!
    Desejo-lhe um bom domingo e produtiva semana, meu amigo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  22. Os líderes TJs são remunerados? Quais sao os "segredos" das TJ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      Olha, sobre sua pergunta, encontrei a seguinte resposta em um livro publicado pela liderança das Testemunhas de Jeová.

      "Todos os que são aceitos para o serviço especial de tempo integral na sede mundial das Testemunhas de Jeová fazem voto de pobreza, assim como fizeram todos os membros do Corpo Governante e todos os demais membros da família de Betel ali. Isto não significa que sua vida seja austera, sem confortos. Significa, sim, que partilham, sem parcialidade, as modestas provisões de alimento, abrigo e reembolso de despesas, fornecidos a todos os que participam nesse serviço" (Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino de Deus, página 351).

      O inconveniente disso é que o membro que é aceita o convite para trabalhar na sede, ou em alguma outra modalidade do ministério, não tem assegurado os benefícios de um trabalhador comum. Isso então acarreta que quando ele é dispensado desse trabalho, talvez depois de 10, 20 ou 30 anos de trabalho, volta para quase como se diz, "com uma mão na frente e outra atrás".

      Logicamente, os chefões lá nos Estados Unidos estão imunes a demissões.

      Grande abraço!

      Excluir